Arrematante é liberado para perfurar novo poço

Autorização, conforme grupo de investimentos, foi emitida pelo DNPM no mês passado; projeto orçado em R$ 100 mi levará 3 anos

GABRIEL BUOSI - Da Redação • 11/03/2018 00:41:46

O arrematante do imóvel onde se localiza o extinto Thermas de Presidente Epitácio, e que se tornará um resort dentro de aproximadamente três anos, Adélcio José Caravina, recebeu a autorização para a perfuração de um novo poço para o abastecimento do local. De acordo com o gerente do grupo de investimentos, Fernando Villasboas, a liberação se deu no mês passado, na sede do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), quando, inclusive, foi protocolado o início do procedimento.

O empreendimento conta com um projeto orçado em R$ 100 milhões, sendo que contará, ao todo, com 360 apartamentos ao término das obras, 190 na primeira fase e outros 170 na segunda fase. Conforme Fernando, foi no mês passado que, acompanhado da prefeita de Presidente Epitácio, Cássia Furlan (PRB), os responsáveis pelo projeto se reuniram no DNPN com objetivo de verificar a possibilidade de entrar com uma reforma no poço que abastecia o local e hoje “causa danos ao meio ambiente”. “Os técnicos informaram que a proposta era interessante, mas que não compensava, já que o mesmo encontra-se com a vida útil comprometida, o que não é bom para o empreendimento”, ressalta.

Com a não possibilidade de reforma, foi manifestada a desistência de utilizar o poço, bem como o interesse em realizar uma nova perfuração, com exigências e padrões atualizados, o que foi concedido, segundo Fernando. “Estamos agora em fase de orçamento com três empresas, com evoluções nas tratativas, que futuramente vão perfurar o novo poço. Ainda não há data para tanto, já que dependemos agora da parte legal”.

O arrematante, Adélcio, confirma a autorização de perfuração, lembra que o local terá profundidade de 1.600 metros e comenta sobre a importância do empreendimento. “Temos um prazo estimado em 36 meses para a conclusão das obras, já que o projeto está em fase final. Acreditamos que o resort vai mudar a cidade de Presidente Epitácio, mas também a região, assim como ocorreu com Olímpia (SP), há 20 anos, e que se tornou uma referência em parque aquático”, expõe.

O vice-prefeito de Epitácio, José Carlos Botelho Tedesco (PV), lembra que a Prefeitura tem boas expectativas com o futuro resort, uma vez que este será o responsável por transformar a região, mais do que já é, em um polo turístico. “Acreditamos que serão atraídas, também, pessoas com um poder aquisitivo que pode fomentar o comércio local”. O vice-prefeito comenta ainda que esta é, para a administração, um bom momento para visar a geração de empregos, já que será necessária mão de obra, além da abertura do setor de serviços. “Também é de interesse do município, por isso temos dado todo o apoio que nos compete”.

A reportagem entrou em contato com o DNPM, para confirmar a autorização, mas não recebeu um retorno até o fechamento desta matéria.

 

Histórico

Vale lembrar que, conforme noticiado por este diário, o juiz Newton José Falcão, por meio de um despacho, indeferiu o pedido de recuperação e exploração econômica do poço de águas termais que abastecia o antigo Thermas de Epitácio. No documento, a Justiça intimava a Petrobras, ANP (Agência Nacional do Petróleo) e o DNPM ao tamponamento do local por um prazo de 90 dias, a partir da notificação das partes, sob pena de multa diária.

Na época, diante de laudos, o MPF (Ministério Público Federal) esclareceu que consignou em setembro de 2015 as agências reguladoras, ao considerar as vistorias realizadas e documentos dos autos, que ratificassem o entendimento de que o abandono definitivo e o “arrasamento” do poço eram as medidas técnicas mais recomendadas para cessar o vazamento no local. Com o novo e último despacho, então, a Justiça afirma que a ANP, ANM e Petrobras ficam, portanto, intimados a darem início ao tamponamento indicado no relatório, já que “não há como ignorar” a recomendação dada, conforme decisão em que o documento se baseia.

 

SAIBA MAIS

O poço que abastecia o antigo Thermas de Epitácio foi perfurado pela Petrobras entre 1957 e 1959, na tentativa de encontrar petróleo às margens do Rio Caiuazinho, afluente do Rio Paraná, na área urbana de Epitácio. Não entanto, não houve sucesso para encontrar o recurso com a perfuração de mais de 3 mil metros de profundidade, do qual jorra água a 72º C, do Aquífero Guarani, então, ele foi desativado e abandonado. Em 1987, uma empresa privada decidiu recolocar em operação o poço para produzir água quente e abastecer o Thermas, abrindo-o até a profundidade de 1,6 mil metros.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste