Na região

Arrecadação com tributos federais cresce 16%

Delegacia da Receita Federal de Prudente, entre janeiro e agosto deste ano, recolheu R$ 260.446.963,24 a mais que em 2017

GABRIEL BUOSI - Da Redação • 04/11/2018 04:09:00

A quantia em tributos federais arrecadada pela Delegacia da Receita Federal de Presidente Prudente no acumulado deste ano, com dados de janeiro a agosto, representa R$ 1.846.386.748,04, sendo que valor, em relação ao mesmo período do ano passado, apresenta uma variação positiva de 16,4%, já que em 2017 os tributos federais renderam R$ 1.585.939.784,80 à Receita, uma diferença no período de R$ 260.446.963,24. Conforme a porta-voz da unidade de Presidente Prudente e analista tributário, Mônica Aparecida de Moraes Botelho, dentre os fatores para o aumento na arrecadação está a chamada presença fiscal. “Corresponde à atuação da Receita Federal perante a sociedade o que diz respeito à fiscalização de empresas e pessoas físicas, como, por exemplo, efetuar lançamentos de tributos não pagos”, esclarece.

Em nível de comparação e informação, no entanto, conforme a unidade, o mês de agosto, que é o dado mais recente disponível, apresenta uma variação negativa de 7,5%, já que no ano passado, o total de tributos arrecadados no mês era de R$ 242.587.877,21, que caíram para R$ 224.293.214,44. Ainda sobre o mês de agosto e como exemplo de tributos arrecadados, a Delegacia da Receita Federal lembra que dentre eles estão, por exemplo, o IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), com o recolhimento de R$ 2.639.492 neste ano, 49,9% a menos que no ano passado, IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras), com o recolhimento de R$ 86.434 em 2018, 16,7% a menos que no mesmo período do ano de 2017.

Para a porta-voz da Delegacia da Receita Federal de Presidente Prudente, a variação de 16,4% nos valores totais de um ano ao outro deve ser atribuída à chamada “presença fiscal”, que corresponde à atuação da Receita perante a sociedade no que diz respeito à fiscalização de empresas e pessoas físicas. “Como, por exemplo, efetuar lançamentos de tributos não pagos; à cobrança de tributos, como enviar cartas cobranças diretamente para o contribuinte [conforme previsão do Dec. 70.235/1972]; e ao trabalho de conscientização da sociedade realizado por meio da Educação Fiscal e da Comunicação Social com o trabalho realizado junto à mídia impressa, falada ou televisionada”. 

Ainda conforme Mônica, no que diz respeito às fiscalizações, no âmbito público, elas se dão por meio dos agentes, que acompanham e exigem que haja o cumprimento das leis, sendo, desta forma, uma fiscalização que consiste no controle do cumprimento das normas tributárias, como a auditoria, examinando as atividades do contribuinte e verificando, conforme ela, se estão de acordo com os preceitos normativos, ou seja, se as obrigações tributárias estão sendo cumpridas. “Os dados regionais são vistos com bons olhos, pois estão acima das metas estabelecidas para o período”, finaliza.

 

((( NÚMEROS )))

R$ 1.846.386.748,04

Foram arrecadados em tributos federais de janeiro a agosto

 

R$ 1.585.939.784,80

Foi a arrecadação no mesmo período do ano anterior

 

R$ 260.446.963,24

É a diferença de arrecadações entre 2017 e 2018

 

16,4%

Representa a variação dos tributos federais nos dois anos analisados

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste