Aposentado utiliza criatividade e transforma reciclável em arte

Variedades

| ESTEVÃO SALOMÃO - Especial para O Imparcial

Entre todas as ferramentas organizadas naquela pequena oficina, nenhuma tem tanto potencial quanto a imaginação do aposentado João Carlos de Lima, 67 anos. Da tesoura a tampinha de garrafa, são os pincéis que dão forma e harmonia as ideias do inventor, que desde 2005 transforma recicláveis em arte e, desta maneira, contribui com preservação do meio ambiente.

Atualmente morador de Álvares Machado, foi no município de Diadema (SP), que o então montador automobilístico descobrira o talento em criar. Nas horas vagas, tanto em casa quanto no próprio trabalho, os rascunhos de desenhos passaram a ser os principais companheiros do senhor João. “Logo fui colocando minhas ideias em prática e surgiram então os primeiros aviões e carrinhos feitos de garrafa pet”, se recorda.

Entre desenhos, ajustes e fabricações, João passou a construir em média cinco novos objetos diariamente, o que segundo ele, corresponde a mais de 20 itens de recicláveis, entre garrafa pet, latas de alumínio, canos de PVC, além dos demais itens, todos reaproveitados de entulhos ou descarte residencial. “Amigos e conhecidos direcionavam tais materiais, que muitas vezes poderiam ter o descarte irregular, para que eu pudesse utilizá-los”, diz.

 

“É um ótimo exercício ao meu condicionamento físico e emocional”

João Carlos de Lima,

Aposentado

 

Desta maneira, com diferentes formas, cores e funcionalidade, João coleciona uma infinidade de suas próprias criações. Carrinhos, aviões, cata-vento, arcos giratórios, entre tantas outras invenções fazem parte do cenário de sua residência, tal como de outras, uma vez que diferentes doações foram realizadas. “Inclusive, existe um cata-vento de grande porte no município de Brusque (SC)”, acrescenta.

Sobre os benefícios de tal arte, João menciona que o hobby se tornou uma terapia. “Sinto-me muito feliz em poder contribuir com a natureza, sobretudo pelo fato de ser um ótimo exercício ao meu condicionamento físico e emocional”, argumenta.

Para o biólogo Edson Cubatelli Junior, a prática é muito bem vista quando se trata de preservação ao meio ambiente, uma vez que tais objetos reaproveitados poderiam ter destinos diferentes. No entanto, conforme o profissional, é preciso ter cuidado com o acumulo de materiais. “O exemplo do Srº João é muito positivo, pois demonstra o respeito a natureza, porém, é valido alertar que todo material reciclável, quando depositado de maneira correta, também possui grande importância à reciclagem de matérias”, analisa.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste