Weverson Nascimento: Silvana é motorista da plataforma desde julho de 2019

Foto: Weverson Nascimento: Silvana é motorista da plataforma desde julho de 2019

Aplicativo exclusivo para elas

“Bela Dona” busca trazer uma corrida com mais tranquilidade e segurança ao contar com 40 motoristas mulheres ativas

  • 01/03/2020 08:57
  • GABRIEL BUOSI - Da Reportagem Local

As mulheres que utilizam aplicativos de transporte em Presidente Prudente possuem, há mais de um ano, uma plataforma idealizada de forma exclusiva para o público feminino da cidade. A proposta de trazer uma corrida com mais tranquilidade e segurança foi o que motivou as sócias-proprietárias Andreia de Almeida e Simone Valério Casadei a idealizarem o aplicativo “Bela Dona”. A ideia já conta com mais de 8 mil clientes cadastradas e é um sucesso entre elas.

Tudo começou depois que Simone atuou dentro de outra plataforma de transporte, conhecida em nível nacional, mas que costuma juntar tanto motoristas quanto clientes de ambos os sexos. Muitas vezes, com corridas durante a madrugada enquanto atuava no outro aplicativo, era inevitável a existência da insegurança em relação ao próximo passageiro a ser transportado.

“Nesta época, eu conheci um aplicativo na capital paulista que tem a mesma proposta da nossa e estava se saindo muito bem por lá, foi quando decidi propor a criação para minha sócia”, aponta Simone, ideia que deu muito certo, já que, depois de três meses de elaboração, o projeto nasceu, em dezembro de 2018.

A proposta, conforme Andreia, é a de trazer segurança e tranquilidade para que mulheres saibam que não passarão por eventuais problemas que costumam ocorrer em demais plataformas, conforme relatos ouvidos por elas. “Tivemos um resultado muito satisfatório e além do esperado neste pouco mais de um ano de atividades, temos uma procura muito boa e a tendência é crescer cada vez mais”.

Ao todo, a “Bela Dona” conta com 40 motoristas ativas, com oito mil clientes cadastradas e algo em torno de 200 corridas ao dia.

RELAÇÃO DE CONFIANÇA

Silvana Ruiz Ascenço tem 56 anos e é motorista do aplicativo desde julho de 2019. Ela conta que conheceu a proposta por causa da irmã, que chegou a atuar na plataforma logo no início do projeto. Para ela, que tinha vontade, porém receio de atuar com o transporte nas ruas, esta foi mais do que uma oportunidade para dar início às atividades. “Foi quando achei a resposta para o que eu precisava. Sou apaixonada por esta ideia, pois me sinto segura”.

Ela comenta que normalmente as pessoas atribuem o diferencial do aplicativo ao fato de que ele é conduzido e utilizado apenas por mulheres, no entanto, ressalta que, além disso, há o fato de que a plataforma é de Presidente Prudente e traz proximidade e intimidade entre clientes e motoristas. “É uma reação de confiança e nos tornamos uma família, pois conhecemos todas que usam e aquelas que estão por trás da ideia”, finaliza.