José Reis - Vitor Augusto tem orgulho de seus dois Fuscas

Foto: José Reis - Vitor Augusto tem orgulho de seus dois Fuscas

PAIXÃO INEXPLICÁVEL

Apaixonados por fusca colecionam histórias e aventuras com o carro

Com produção da ultima unidade do veículo, O Imparcial conversou com membros de um clube voltado exclusivamente ao veículo em Prudente

  • 21/07/2019 05:26
  • PEDRO SILVA

No dia 10 de julho, no México, foi construído o ultimo Fusca. Com essa última unidade, a Volkswagen encerra uma produção de 80 anos do veículo. Mas apesar do fim dos novos modelos, a paixão dos brasileiros por ele não diminui. Em Presidente Prudente, alguns membros do Clube do Fusca contam suas histórias e paixões com esse carrinho.

Vitor Augusto de Oliveira Brandão, de 52 anos, é fundador e presidente do Clube do Fusca de Prudente, e tem lembranças de que aos sete anos de idade sua mãe comprou o um modelo 1973, verde, e utilizava muito. Foi aí que sua paixão pelo carro começou.

Na época, com leis de transito mais brandas, Vitor relata que viajava no compartimento das malas do Fusca de um primo de seu pai, local esse conhecido como “chiqueirinho”. Essas lembranças ainda são muito fortes em Vitor, e as influenciaram desde então.

Quando se casou, Vitor escolheu o Fusca para ser seu carro, um modelo 1600s, ano 1973, o modelo mais desejado entre os fãs do veículo, mas por forças maiores precisou vender o carro. Após cinco anos, novamente comprou o mesmo modelo. Hoje, Vitor compartilha sua paixão com seu filho, a quem presenteou com um de seus fuscas há alguns anos.

Em 1996, em meio a conversas com amigos, que também são apaixonados pelo veículo, Vitor decidiu participar de desfiles de carros antigos. Dessas conversas surgiria o Clube do Fusca de Prudente, que conta atualmente com 130 membros ativos, que trocam informações sobre os veículos e eventos. O clube se orgulha de participar de ações sociais, como arrecadação de doações e campanhas, levando os veículos para exposição.

Irmãos dos Fuscas

Danilo Ferreira Mateo, de 34 anos, e seus irmãos Donizete Ferreira Mateo Pando, de 46 anos, e Dorival Ferreira Mateo, de 41 anos, também compartilham a paixão pelo Fusca. O primeiro carro do pai, um modelo branco de 1977 marca a história de Danilo, que ainda lembra com carinho de viagens feitas com o carro para uma chácara de parentes, nas quais ele e os irmãos também se divertiam andando no “chiqueirinho” do veículo.

Quando perguntado como se sente por ser dono de um Fusca, Danilo diz que “hoje eu me sinto muito realizado em ter o meu Fusca, e não o vendo de jeito nenhum”.

Paixão de adolescente

Quando tinha 14 anos, Alan Berdel, de 37 anos, colecionava revistas de carros, e nelas encontrou fotografias de Fuscas, despertando assim sua curiosidade com o veículo. Aos 18 anos, ele sonhava em ter um modelo especifico do carro, com modificações e itens personalizados, que conseguiu exatamente como sonhava aos 22 anos.

Hoje, Alan compartilha sua paixão com os filhos e ainda mantém dois dos quatro modelos que teve em sua vida. “O Fusca se consolidou como um ícone, é um carro diferente, é inexplicável”, completa Alan.