Ao ar livre, 1ª edição da feira Arte na Praça Ocorre, hoje, na Bacarin

Com realização do governo municipal, por meio da Sedepp, planos são do evento ser incluso no calendário fixo de Prudente

SANDRA PRATA - Especial para O Imparcial • 28/07/2018 11:14:00

Praça Bacarin pode ser efetivamente um espaço para artesãos de Prudente mostrarem suas produções manuais. Foto: Marcio Oliveira

Passatempo para alguns, ganha pão para outros, o artesanato é um dos contribuintes para o giro da economia local. Pensando em uma forma de incentivar esse trabalho tão rico, o governo municipal, por meio da Sedepp (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Presidente Prudente) lança oficialmente, neste sábado, das 9h às 13h, na Praça do Bacarin a 1ª feira Arte na Praça. Evento receberá no local 65 artesãos cadastrados na Artculippre (Associação de Artesãos, Artistas e Culinaristas de Presidente Prudente e Região) e Sutaco (Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades), além de opções gastronômicas variadas, artísticas e a atração musical Índios Equatorianos.

Segundo a funcionária da Sedepp e agente de cooperação da Sutaco, Célia dos Santos, dar este novo espaço para os artesãos mostrarem seus serviços é, além de tudo, um incentivo para a movimentação econômica da cidade. Tendo em vista que a matéria prima dos produtos é comprada na cidade e ao vender faz com que o dinheiro permaneça em fluxo local.

Além disso, ela destaca a autoestima do profissional ao ter seu trabalho – muitas vezes confundido como hobby – ser reconhecido.

“Converso muito com eles, alguns procuram o artesanato até por orientação médica. É um trabalho muito importante também na ajuda pessoal, por isso a importância da feira. Eles merecem essa atenção”, comemora Célia.

Dentre os itens disponíveis, a agente destaca produtos com base de madeira, ferro e barro. Além de cosméticos artesanais, sabonetes e na área alimentícia, doces caseiros e bolos artesanais. 

Segundo ela, o objetivo central da feira é divulgar as produções dos profissionais locais e fazer uma integração com a sociedade prudentina e, quem sabe, até conseguir novos interessados em artesanato uma vez que, conforme ela, a procura por este tipo de serviço está decaindo.

“Hoje, principalmente os jovens, não querem saber de aprender, para ser artesão é preciso ter técnica”, pontua.

 

“Temos que fomentar a comunidade, os bairros, mostrar que é um trabalho legal, que Prudente é forte nesse setor. Muitas pessoas não sabem que existem tantos artesãos na cidade, a ideia é mostrá-los para a população”

Mafalda Aparecida Menosse,

artesã e vice-presidente da Artculippre

 

Fortalecimento artesanal

Mafalda Aparecida Menosse é artesã há três anos e vice-presidente da Artculippre, segundo ela, falta estímulo das pessoas para fortalecer o artesanato. Por este motivo, a feira será um excelente passo no fortalecimento, crescimento e criação de identidade dos profissionais.

“Aqui não temos um local fixo voltado apenas para isso, se Deus quiser será mais uma chance de fomentar o serviço dentro da cidade e circular o dinheiro da economia. Alguns de nós, como eu, vivemos 100% de artesanato”, expõe.

Em relação ao apoio municipal que a classe recebe, Mafalda diz que não tem do que reclamar, uma vez que o ano de 2018 tem sido muito bom para os trabalhadores da arte. “O pessoal da Sedepp, da prefeitura percebeu que é um mercado bom na cidade e sempre estão de portas abertas aderindo nossas ideias e ajudando a construir nosso espaço ajudando como podem”, frisa.

Sobre esta primeira edição da feira, Mafalda faz apelo para que a população compareça, prestigie e conheça o trabalho artesanal.

“Temos que fomentar a comunidade, os bairros, mostrar que é um trabalho legal, que Prudente é forte nesse setor. Muitas pessoas não sabem que existem tantos artesãos na cidade, a ideia é mostrá-los para a população”, enfatiza.

 

Próximas feiras

De acordo com Célia, o plano é transformar a Praça Bacarin em um ponto fixo da Arte na Praça. E reforça, que Prudente embora seja um grande centro não tem um espaço para esses trabalhadores. Outro fator de importância para manter a feira fixa, é enfatizar a união entre os próprios artesãos. Que podem a cada edição trocarem experiências, dicas e se auxiliarem em aspectos que podem incrementar seus produtos.

“Ainda não decidimos se será toda semana, a cada quinze dias, mas estamos em elaboração para tornar a feira fixa”, ressalta.

 

Serviço

A 1ª edição da feira será realizada, hoje, das 9h às 13h, na Praça Bacarin localizada entre as Ruas 7 de Setembro e a Reverendo Coriolano, no Jardim Aviação.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste