Antes de cobrar seus direitos, lembre-se de seus deveres!

  • 13/02/2020 04:28
  • DA REDAÇÃO

Ainda nos primeiros dias do ano, diversos municípios da região já registravam inúmeros casos de dengue, cenário que segue em expansão, refletindo em grande preocupação para o poder público e entre munícipes. Recentemente, Martinópolis e Osvaldo Cruz decretaram estado de emergência em decorrência da situação alarmante. Presidente Prudente, maior cidade da região, já ultrapassa 200 registros positivos da doença, e também anunciou que oficializará estado de emergência.

Infelizmente, não só a dengue tem trazido preocupação para os moradores da região. Na última semana, Dracena registrou a morte de uma idosa de 60 anos, diagnosticada com leishmaniose. Ela morava no Jardim Jussara e tinha histórico de problemas renais crônicos. Assim como a dengue é transmitida por um mosquito, o Aedes aegypti, a leishmaniose tem como vetor o mosquito-palha. Ou seja, meros insetos que trazem enormes prejuízos, inclusive, colocando em risco a vida da população.

Na região, pelo menos quatro casos de mortes suspeitas em decorrência da dengue foram registrados no primeiro mês deste ano: uma em Prudente, uma em Pirapozinho e duas em Presidente Venceslau. Os municípios aguardam o resultado dos exames. Hoje, este diário traz a confirmação do primeiro óbito por dengue em cidades regionais de 2020: um homem de 70 anos, morador de Osvaldo Cruz. Dengue e leishmaniose matam!

Inúmeras ações para combater a proliferação do Aedes são realizadas nas cidades. E como todos já estão cansados de saber, para que isso se concretize, a população é protagonista. Deve arregaçar as mangas e manter seus quintais limpos e sem objetos que possam servir de criadouros para o mosquito. No caso da leishmaniose, a limpeza também é fundamental para frear a reprodução do vetor. Além disso, as pessoas devem ficar atentas a seus cãezinhos de estimação, principais hospedeiros urbanos da doença.

Vale ressaltar que frequentemente o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Prudente realiza plantões para coleta de sangue de cães, com vistas a detectar a presença da leishmaniose. No entanto, muitos moradores ignoram a ação, e não levam seus animais, mesmo sendo notificados para tanto. No último sábado, por exemplo, o plantão foi realizado no Jardim Aquinópolis, e até às 11h, apenas um proprietário havia levado seu animal.

Não podemos nos omitir de nossa responsabilidade como cidadãos. O cenário caótico que estamos vivenciando com doenças como a dengue é um reflexo da negligência de muitos moradores, que insistem em esperar que somente o poder público resolva tudo. Antes de cobrar seus direitos, lembre-se claramente de seus deveres!

DA REDAÇÃO

DA REDAÇÃO

Jornalista da Redação

PUBLICIDADE