Andar conforme a lei é o melhor caminho

  • 12/02/2020 04:55
  • DA REDAÇÃO

Muito se fala em corrupção nos dias de hoje e muitos são os casos que vêm à tona por conta disso. Principalmente, políticos. Dinheiro na cueca, verbas desviadas para contas particulares. Funcionários fantasmas. Sonegação de impostos, entre tantas outras formas de fazer algo errado. E, claro, a população precisa e deve reivindicar a clareza das coisas e colaborar com a punição dessas pessoas.

No entanto, pequenos atos podem ser considerados corruptos. E, muitas vezes, tais atos são taxados como "normais". Os conhecidos "gatos" são exemplos de ações corriqueiramente encontradas, mas que são ilegais. Na edição de ontem deste diário, foi vista a quantidade de kW/h (quilowatt-hora) recuperados. Total oriundo de furto de energia.

Como noticiado, gato de energia elétrica é o nome dado à ligação clandestina destinada a furtar energia elétrica. Além do furto, é possível ainda haver adulteração em medidores, de modo a influenciar, para baixo, o valor gasto e a ser pago do consumo. Tal cenário não é novidade e nem incomum. Tanto que, somente no ano passado, a Energisa Sul-Sudeste, que atende 21 municípios da região de Presidente Prudente, constatou 356 irregularidades. De tal número, o resultado também foi: 1.383.117 kW/h recuperados. Na ponta do lápis, conforme dados da empresa, isso quer dizer que 8.644 residências puderam ser atendidas somente com o valor desviado e, consequentemente, devolvido. Em termos financeiros, a recuperação é equivalente a R$ 968.181,90.

Que todos possam ter consciência de que o ato corrupto é qualquer situação ilegal. Não só de políticos. Andar conforme a lei é a única maneira de deitar a cabeça no travesseiro e dormir em paz.