DESESTATIZAÇÃO

Ampliação do aeroporto inclui novo terminal e pistas de taxiamento

Daesp afirma que realiza estudo para definir o melhor modelo para a desestatização do local, seguindo as diretrizes do Governo do Estado de São Paulo

  • 21/03/2019 07:14
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

O prefeito de Presidente Prudente, Nelson Roberto Bugalho (PTB), solicitou ao Estado de São Paulo, por meio de ofício, uma “atenção especial” ao aeroporto do município, que segundo a administração pública, atende a mais de 50 municípios da região, com população estimada em 1 milhão de habitantes. A medida se deu após o anúncio de terceirização dos complexos aeroportuários do Estado, sendo que nesta semana, conforme a Prefeitura, o superintendente do Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), Antônio Claret de Oliveira, teria confirmado o interesse do Estado em ampliar o aeroporto, como na expansão de um novo terminal de passageiros.

Conforme a administração, o anúncio foi feito em conjunto com a informação de uma área de 202 mil metros quadrados e que será doada pelo município, já com toda a infraestrutura básica necessária, como a rede de escoamento de águas pluviais, iluminação pública, rede de energia elétrica pública e domiciliar, rede de esgoto sanitário e abastecimento de água potável.

“Do ponto de vista do Daesp, o terreno ora oferecido vem ao encontro das necessidades trazidas pelo potencial de desenvolvimento do aeroporto, eliminando restrições da área atual, e com o Plano de Desestatização encampado pelo Governo do Estado, trazendo a possibilidade de gerar maior atratividade para um dos principais aeroportos da malha aeroviária do Estado”, declarou o superintendente à assessoria de imprensa da Prefeitura. Nos estudos para expansão, estão previstas a construção de um novo terminal de passageiros, estacionamento de veículos, pátio de aeronaves e pistas de taxiamento.

Estudo

O Daesp, por meio de nota, afirma que realiza estudo para definir o melhor modelo para a desestatização, seguindo as diretrizes do Governo do Estado de São Paulo, e que para isso, melhorar a atratividade da rede de aeroportos é fundamental, e um exemplo claro é o incentivo dado pelo atual  governo ao reduzir o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) que incide sobre o querosene de aviação. “Ações como essa valorizam os aeroportos e trazem mais desenvolvimento no sentido dos resultados esperados pelo Estado”.