Os Lobatianos

Alunos batem papo com “Monteiro Lobato” em escola

EE Joel Antonio de Lima Genésio tem uma sala de leitura dedicada a estudar as obras do celebre  escritor, percursor da literatura infantil no Brasil

OSLAINE SILVA - Da Redação • 08/05/2018 17:57:47

Atividade segue até o dia 11, com estudantes de todas as salas. Foto: José Reis

Um projeto que existe desde 2014 e a cada ano é enriquecido por novas ações pelos estudantes dos 7º anos da EE (Escola Estadual) Joel Antonio de Lima Genésio, de Presidente Prudente: Os Lobatianos. Como forma de homenagear Monteiro Lobato - percursor da literatura infantil e incentivador da leitura no Brasil -, a nova turma que compõe o grupo promove de 4 a 11 de maio, uma programação especial dedicada à vida e obra do célebre escritor. Desta vez, na atividade deste ano, o aluno Caio Eduardo Ramos Bublitz, 11 anos, do 7º ano C, caracterizado como o autor, faz um bate-papo com os colegas de todas as salas da unidade de ensino.  

Conforme a professora responsável pela Sala de Leitura e idealizadora do projeto, Rita de Cássia Nespoli Damaceno, o mesmo consiste em estudar a vida e a obra do escritor e, após período de pesquisas, o resultado é apresentado a todos da escola. E um dos últimos trabalhos que a turma estudou foi a obra “Juca e Joyce – Memórias da neta de Monteiro Lobato”, onde estão depoimentos dela à jornalista Marcia Camargos.

“Em um bate-papo em primeira pessoa, o Caio está promovendo uma ação protagonista, dando uma aula daquelas respondendo a 15 perguntas dos seus colegas sobre a obra, explicando a biografia do autor de forma descontraída. Sensacional. Sinto-me orgulhosa. Uma vez por ano, além da pedagógica, Os Lobatianos realizam uma ação social e, em novembro, eles estarão no Lar São Rafael com ‘Invertendo a história’, contando histórias aos velhinhos do asilo”, expõe a professora.

Caio conta que vem estudando o livro desde o ano passado e menciona que, como Joyce é a parente mais próxima de Monteiro Lobato, que conviveu mesmo com ele, nesse livro estão informações sobre ele que nem estão na enciclopédia.

“Tem sido uma experiência muito legal poder compartilhar com os colegas o que aprendi no livro. Mostrar a eles o que Monteiro Lobato fez, as riquezas que ele nos deixou e conscientizá-los de que este escritor merece todo apreço. Tentei interpretá-lo da maneira que a professora disse que ele era. Eu vejo Os Lobatianos como um projeto inovador aos alunos que realmente têm vontade de se dedicar de verdade”, pontua o jovem estudante, que teve ao seu lado no bate-papo de ontem os amigos do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”: do 7º ano A, Ana Clara Olian da Silva, como a Emília; Beatriz Vitória Ferreira Barbosa (Dona Benta) e Jean Carlos Santos da Silva (Visconde de Sabugosa); Rafael Toshio Tanistsu Tombin, 7º ano C (Pedrinho); e Melyssa Teixeira Sales, 7º ano B (Narizinho).

 

Conhecimento progressivo

A cada ano, novos alunos compõem o grupo dos Lobatianos. A turma do ano passado, após produzirem CDs com a declamação de fábulas de Monteiro Lobato, divulgaram o trabalho em plena Praça Nove de Julho, no centro da cidade. Antes, o grupo de 15 alunos, apaixonados pelo célebre escritor brasileiro, o pai do “Sítio do Picapau Amarelo” presentearam membros participantes da Associação Filantrópica de Proteção aos Cegos.

“Eles produziram o texto, gravaram o CD e fizeram a divulgação, abordando as pessoas na praça. Elaboraram um vídeo também sobre fatos da vida de Monteiro Lobato”, explicou a professora na ocasião, ressaltando ainda que o grupo havia decidido não ficar apenas nas pesquisas e dentro da sala de aula e levar a obra e vida do escritor para a praça, para que mais pessoas tivessem conhecimento.

Desde o início, o projeto conta com alunos de 11 a 14 anos que se encontram uma vez por semana durante o almoço deles, uma vez que a escola atende em período integral.

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste