AI do AME - Palestra no AME conscientiza sobre os cuidados com a voz e os sinais de patologias

Foto: AI do AME - Palestra no AME conscientiza sobre os cuidados com a voz e os sinais de patologias

ORIENTAÇÕES

Alteração na voz pode indicar câncer de laringe

  • 17/04/2019 05:20
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Cuidar da voz é uma tarefa não somente quando existe a dor de garganta ou mesmo a falta de som, por vezes, ela ajuda a detectar graves doenças. Ontem, no Dia Mundial da Voz, o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Presidente Prudente promoveu uma palestra que visou orientar e chamar a atenção da população sobre os cuidados de preservação da voz. “É preciso estar atento às alterações porque podem ser um sinal de patologias, como por exemplo, o câncer de laringe”, afirma a organizadora do evento, Juliene Botti, 30 anos. A ação contou com orientações aos pacientes, acompanhantes e colaboradores no pátio da unidade. 

A voz, segundo a fonoaudióloga e palestrante convidada Bruna Elise Borboni de Menezes, 28 anos, é o principal meio de comunicação para quem faz o uso dela, então considera que todas as pessoas deveriam ser conscientizadas do quão importante é o cuidado correto. “Há pessoas que não têm condições de falar, mas elas possuem o meio de comunicação delas, porém, a maioria da população que utiliza a voz desconhece dos cuidados corretos ou mesmo das consequências e causas de doenças”, declara.

Situações negativas

Segundo a fonoaudióloga, é preciso estar atento aos primeiros sintomas de alteração vocal, como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas, mudança de tom, pigarro e rouquidão. Ela explica que a voz tem um padrão de identidade e essas mudanças podem ser sinais de câncer, nódulo ou granuloma que acabam alterando de acordo com cada patologia. “Em alguns casos são mais funcionais por conta do exercício incorreto da voz o que inclui esforço e tensão, em outros já são mais orgânicas, como no caso de câncer ou doença presente na prega vocal”, fala.

O recomendado ao perceber alterações, segundo Bruna Elise, é que o indivíduo procure um médico otorrinolaringologista que irá realizar os exames necessários e caso tenha algum diagnóstico de câncer ou demais doenças relacionadas à voz, pode ser encaminhado para um oncologista e, posteriormente, a um profissional da fonoaudiologia. “O trabalho da fonoaudiologia entra a partir de que os médicos prescrevem as devidas precauções, pois cada caso é muito particular e para alguns podem ser apenas uma alteração vocal, em outros uma disfagia.”

Juliene Botti expõe que atualmente, na população de modo geral, há uma abrangência grande de câncer de laringe e que poucos sabem que a rouquidão, dor na garganta, baixa qualidade vocal podem ser sintomas, logo, as orientações e recomendações desse tipo de evento leva a pessoa a procurar um profissional e, caso seja identificado o câncer, que ele consiga um tratamento rápido e eficaz de forma atingir 100% de cura.

Voz saudável

Os principais cuidados, segundo a fonoaudióloga, são: hidratação de forma correta, pois conforme relata, o ideal são 35 ml/kg por dia; realização de exercícios vocais de aquecimento antes de utilizar a voz e o desaquecimento depois, principalmente a classe que trabalha com a voz e tem um desgaste maior vocalmente; alimentação correta e evitar comida gordurosa; e utilizar de sucos cítricos ou mesmo a maçã na função de adstringente que limpa o trato vocal.