Arquivo - Pirajá, infectologista: "Nos antevemos e criamos o comitê"

Foto: Arquivo - Pirajá, infectologista: "Nos antevemos e criamos o comitê"

FORÇA-TAREFA

Alinhamento contra o coronavírus

Já pensando à frente, na possibilidade de existir uma confirmação do Covid-19 na cidade, unidades de saúde traçam estratégias para atendimento de pacientes

  • 21/03/2020 05:02
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Diante da pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, mesmo sem ter casos confirmados na cidade, as autoridades já pensam à frente, no sentido de ao menos tentar traçar um posicionamento a seguir, quando - e se - esse momento chegar. Por isso, hospitais e o município já imaginam o que podem fazer, no que diz respeito ao atendimento de uma pessoa infectada.

Pensando nisso, a Prefeitura publicou ontem o Decreto 30.745/2020, que nomeia e dá diretrizes ao Comitê de Contingenciamento do Coronavírus, instituído nesta semana, por meio de outro decreto: o 30.371/2020. De acordo com o secretário municipal de Comunicação, Iury Greghi, a ideia é realmente pensar sempre à frente, na possibilidade do que pode ocorrer, seja na confirmação de casos ou no combate à propagação da doença. “Medidas temporárias e emergenciais”, como consta no documento. Haverá, desta forma, a junção de forças de diversos setores públicos e privados para trabalhar no comitê.

São eles: 29ª Subseção da OAB de Presidente Prudente, Cremesp (Conselho Regional de Medicina), Defesa Civil, DRS-11 (Departamento Regional de Saúde-11), FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista), Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças, HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonadro Cerávolo, MPE (Ministério Público do Estado), Polícia Militar, SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), Seduc (Secretaria Municipal de Educação), Semea (Secretaria Municipal do Meio Ambiente), Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Toledo Prudente Centro Universitário, Unimed e Unoeste (Universidade do Oeste Paulista).

PLANO DE

CONTINGÊNCIA

Na Santa Casa de Misericórdia também há um plano de contingência para lidar com uma possível epidemia local, como informa o infectologista da unidade, André Pirajá. “Há deficiência nos hospitais da região, claro, como em qualquer local do mundo. Contudo, nos antevemos a isso, montando um comitê para contenção do coronavírus”, frisa.

E tal fluxograma equivale a várias etapas, como atendimento médico inicial, aconselhamento da equipe de enfermagem, coleta de exames e, por fim, o isolamento do paciente, seja no quarto ou UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Na ocasião, o especialista ainda falou sobre a possibilidade de usar, se necessário, leitos do HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente).

Posteriormente, o próprio HRCPP, ontem de manhã - e atendendo um pedido do Estado -, disponibilizou oficialmente 80 leitos de internação e 10 leitos de UTI para tornar-se um centro de tratamento do Covid-19 na região, para casos que necessitem (Leia mais na matéria acima).