Aleitamento é um ato natural, instintivo e deve ser respeitado

  • 27/08/2019 00:05

Com o objetivo de conscientizar acerca do aleitamento materno, o grupo Gesta Prudente realizou no domingo, em Presidente Prudente, a “Hora do Mamaço”, cuja temática da terceira edição foi “Empoderar pais e mães”. O evento, segundo noticiado por este periódico, buscava desmistificar o tabu da amamentação, principalmente em espaços públicos e de bebês maiores. Isso porque, no Brasil, as mães amamentam, em média, durante 54 dias, quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda no mínimo seis meses. Intimidadas pela opinião pública, muitas optam pelo desmame mais cedo, a fim de evitar olhares tortos na rua e constrangimentos.

É impressionante que, em 2019, mulheres precisem se unir para esclarecer um ato tão instintivo como a amamentação, inerente à natureza humana e praticada desde o princípio dos tempos. O leite materno é o primeiro alimento da criança, extremamente importante para a etapa inicial de sua vida e que implica diretamente no seu desenvolvimento como ser humano. Diante disso, por que, mesmo cientes das propriedades e benefícios do leite materno, há aqueles que ainda acreditam que o ato precisa ser velado, escondido dos olhos da população? Por que, ao sair na rua, a mulher está sujeita a ser encarada e julgada no momento da amamentação? As necessidades da criança não têm hora nem lugar e merecem ser atendidas sem que a mãe seja vítima de preconceito por isso.

Não deve haver censura no aleitamento e, em hipótese alguma, a exibição dos seios femininos pode ser vista como um gesto erótico e atentado ao pudor, assim como não é considerada ofensiva a imagem de um homem andando na rua descamisado. Sim, é impressionante que, em 2019, as mulheres ainda precisem se unir para debater tal questão, mas torna-se necessário, fundamental e tem que continuar ocorrendo enquanto houver a necessidade de informação e conscientização. As virtudes da maternidade, em momento algum, devem ser oprimidas por prejulgamentos arcaicos e insustentáveis. Todas as mães merecem respeito.