COTIDIANO

Agronegócio pode alavancar investimentos e empregos

A cadeia do agronegócio é a que possui maior potencial para receber investimentos e gerar empregos dentro do Estado de São Paulo, segundo levantamento da InvestSP, a Agência de Promoção de Investimentos do Estado de São Paulo. A agência contabilizou 28 projetos voltados para o setor, que poderão trazer para o território paulista R$ 3,4 bilhões e gerar aproximadamente 6 mil empregos. “São Paulo tem na cadeia do agronegócio um pilar fundamental de sua economia”, afirma Wilson Mello Neto, presidente da entidade. “É um setor que representa sozinho 15% do PIB [Produto Interno Bruto] do Estado mais

  • 01/05/2019 05:00
  • Contexto Paulista

Agronegócio

pode alavancar

investimentos

e empregos

A cadeia do agronegócio é a que possui maior potencial para receber investimentos e gerar empregos dentro do Estado de São Paulo, segundo levantamento da InvestSP, a Agência de Promoção de Investimentos do Estado de São Paulo. A agência contabilizou 28 projetos voltados para o setor, que poderão trazer para o território paulista R$ 3,4 bilhões e gerar aproximadamente 6 mil empregos. “São Paulo tem na cadeia do agronegócio um pilar fundamental de sua economia”, afirma Wilson Mello Neto, presidente da entidade. “É um setor que representa sozinho 15% do PIB [Produto Interno Bruto] do Estado mais rico do Brasil e por isso as oportunidades existentes aqui são enormes”.

 

Em negociação

Além dos projetos mapeados e em negociação com as empresas, existem outros sete empreendimentos da cadeia do agronegócio aprovados. Ainda não anunciados publicamente, os investimentos somam R$ 75,5 milhões e devem gerar cerca de 720 empregos. Em 2018, a InvestSP assessorou empresas da cadeia do agronegócio que anunciaram aplicações de R$ 430,7 milhões.

 

Frase

“A partir de agora não tem mais timidez, o mundo é global e 20% de toda a economia de São Paulo é fundamentada no agro”, declarou o governador João Doria (PSDB), na segunda-feira, em Ribeirão Preto, ao abrir a Agrishow 2019, Feira Internacional de Tecnologia Agrícola.

 

PIB cresce entre janeiro e fevereiro

O PIB do Estado de São Paulo cresceu 1% entre janeiro e fevereiro de 2019, como reflexo especialmente do desempenho do setor industrial, segundo a Fundação Seade. No período acumulado de 12 meses, o PIB paulista avançou 1,4%, nesse caso tendo nos serviços o ponto mais forte de alavancagem da produção. Em fevereiro de 2019, na comparação com igual mês do ano anterior, a atividade econômica paulista cresceu 3,9%.

 

Pioneirismo no biogás

O governo estadual fechou parceria que assegura a dois municípios paulistas do oeste o pioneirismo em sistemas de distribuição de biometano no país. Pelo acordo firmado com a iniciativa privada, Presidente Prudente e Pirapozinho poderão usar gás gerado a partir dos resíduos da cana-de-açúcar. Na primeira etapa, a estimativa é que 230 mil pessoas sejam beneficiadas com a medida. As empresas parceiras no projeto são a GasBrasiliano e a Usina Cocal. O gás será gerado no processamento de resíduos como bagaço, vinhaça e palha da cana. A distribuidora vai investir R$ 30 milhões no projeto, e outros R$ 130 milhões virão da usina para a produção do combustível.

 

De vento em popa

A Mineração Jundu, maior empresa fornecedora de minerais não metálicos para indústrias do vidro e fundição no país, anunciou a expansão da atual jazida de dolomita em Bom Sucesso do Itararé, na região de Itapeva. O investimento permitirá a continuidade do abastecimento da cadeia atual de produção de vidro plano no Estado de São Paulo, produto utilizado na indústria automobilística, eletrodomésticos, construção civil, móveis e decoração. A dolomita é um dos minerais que compõem o vidro, assim como a areia quartzosa e o calcário, também produzidos pela mineradora, que possui plantas também em Analândia e Descalvado.

 

IPTU: projeto polêmico

É possível definir um critério nacional para um município isentar o cidadão do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano)? É o que propõe Projeto de Lei Complementar que tramita na Câmara dos Deputados que determina a isenção do imposto a partir da faixa salarial e os proventos de aposentadoria dos contribuintes. A proposta foi apresentada pelo deputado federal Nivaldo Albuquerque (PTB-AL) para alterar a Lei 5.172/1966 do CTN (Código Tributário Nacional). O parlamentar deseja estimular os municípios a concederem isenção do IPTU a pessoas de baixa renda e aposentados, mas com uma diretriz de caráter geral a ser observada nas cidades.

 

“Fere a autonomia municipal”

A CNM (Confederação Nacional de Municípios) reagiu ao projeto dizendo que somente lei de iniciativa do município tem competência para definir sobre as isenções do imposto, exceto os casos de imunidade constitucional. A elaboração de leis nesse sentido implica em renúncia fiscal e, portanto, envolve a responsabilidade fiscal. “Medidas que obriguem os municípios a aplicarem regras de isenções que não aquelas de iniciativa do próprio Ente Local ferem significativamente a autonomia municipal”, se posicionou a entidade.

 

Prevenção no inverno

O governo estadual anunciou um conjunto de ações para reduzir as chances de que o inverno, a estação da seca, registre alta no índice de queimadas. A Operação Corta Fogo é coordenada pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e envolve o Corpo de Bombeiros, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, a Polícia Militar Ambiental, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), a Fundação Florestal e o Instituto Florestal.

 

Controle do javaporco

O Estado de São Paulo reconheceu o javali como uma espécie de peculiar interesse e aderiu formalmente às normativas e sistema da União Federal no que diz respeito ao seu controle, manejo e erradicação. O javali é propagador de doenças e destruidor de lavouras.