Agripino Lima morre aos 86 anos em São Paulo

Chanceler da Unoeste estava internado no Hospital Sírio-Libanês em razão do diagnóstico de uma úlcera gástrica hemorrágica

GABRIEL BUOSI • 07/03/2018 16:02:53

. Foto: Arquivo, Agripino Lima foi prefeito de Presidente Prudente por três mandatos

Faleceu hoje, na capital paulista, o chanceler da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Agripino de Oliveira Lima Filho, aos 86 anos. A unidade de ensino, em nota, informou que ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, onde foi submetido a um procedimento cirúrgico no dia 22 de janeiro, em razão do diagnóstico de uma úlcera gástrica hemorrágica causada por um tumor.

Ainda conforme a nota de falecimento, após a cirurgia, o quadro de saúde de Agripino era considerado estável e com boa evolução, porém nos últimos dias se agravou. O velório, aberto ao público, ocorre nesta quinta-feira, no Santuário Morada de Deus, em Álvares Machado, com previsão para início às 9h e término às 17h. O sepultamento será restrito à família. Na rede social Facebook, a Unoeste declarou luto e suspendeu as atividades acadêmicas e administrativas da instituição de ensino por três dias a partir de amanhã. Por ordem do prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB), nesta tarde foram cancelados todos os eventos oficiais programados. Amanhã será publicado pela Prefeitura luto oficial de três dias.

Além de vereador, na década de 70, foi prefeito de Prudente por três mandatos – de 93/96, 2001/2004, 2005/2007. Enfrentou inúmeros entraves jurídicos, e em 2007, teve vacância da cadeira declarada pela Câmara Municipal, após condenação do TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) pela suposta compra de aparelhos sem licitação.

Agripino nasceu em Lençóis Paulista (SP), no dia 31 de agosto de 1931, e era filho de Agripino de Oliveira Lima e de Silvéria do Prado Lima. De acordo com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), ele graduou-se pela Faculdade de Direito de Presidente Prudente em 1967 e pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mogi das Cruzes (SP) em 1970. Advogado, professor e proprietário de uma rede de faculdades particulares, a APEC (Associação Prudentina de Educação e Cultura). Em sua morte, era considerado o chanceler da Unoeste.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste