APÓS AUDIÊNCIA

Acusado de matar ex-mulher é preso preventivamente

Indivíduo tem 33 anos e está mantido em cárcere no Centro de Detenção Provisória I, de Pacaembu

  • 21/05/2019 17:39
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

O homem de 33 anos acusado de matar a ex-mulher, Danielli Galdino Ishizu, de 30 anos, teve a prisão preventiva decretada nesta tarde depois de passar por audiência de custódia. O investigado está mantido em cárcere no CDP (Centro de Detenção Provisória) I, de Pacaembu, enquanto aguarda julgamento. Ontem, ele procurou a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) em Dracena e confessou ter matado a vítima com golpes de faca porque não aceitava o fim do casamento.

Como noticiado por este diário, o crime ocorreu no Jardim Jussara, em Dracena, na residência habitada pelo casal que fica aos fundos de um bar, na Avenida José Bonifácio. Antes disso, Danielli estava próxima a uma escola e foi abordada pelo homem que insistia em uma conversa formal entre eles. De acordo com a Polícia Civil, o crime ocorreu pela não aceitação do indivíduo pelo término do casamento.

Durante a “conversa” para tentar reatar o casamento, o homem pegou uma faca de açougueiro e lesionar a mulher em três partes do lado esquerdo do corpo: cabeça, seio e tórax. Danielli chegou a ser socorrida com vida à santa casa, mas morreu. Segundo familiares ouvidos, em certa ocasião ele chegou a comentar que mataria a mulher e os três filhos.

Perdeu a cabeça

“Ele diz que perdeu a cabeça e só se lembra de que desferiu golpes, viu a mulher caída e fugiu”, salienta a delegada titular da DDM, Luciana Nunes Falcão Mendes. Depois do fato, o homem se escondeu próximo a uma rodovia e se entregou, após tratativas por telefone com a Polícia Militar. Conforme a Polícia Civil, mais testemunhas deverão ser ouvidas nos próximos dias. Os laudos necroscópico e pericial deverão contribuir para finalização do inquérito policial.