Ações sustentáveis garantem legado para o futuro

  • 11/03/2020 04:37
  • DA REDAÇÃO

Não há nada mais satisfatório do que sair de casa no início da manhã ou no final da tarde e poder andar em ruas limpas e bem conservadas; caminhar, pedalar a bicicleta ou correr em uma área verde arborizada; abrir a torneira e poder ter acesso a uma água potável e de qualidade; saber que o lixo produzido pela comunidade está tendo uma destinação adequada; ou, simplesmente, ter o benefício de respirar um ar sem altos níveis de poluentes.

Todo o cenário aqui descrito depende diretamente de ações da comunidade, que precisa estar ciente sobre o seu papel na conservação do espaço urbano. No entanto, este trabalho também requer o planejamento e execução de políticas públicas que permitam o desenvolvimento sustentável das cidades de forma plena. E isso, claro, cabe às administrações municipais.

Para incentivá-las a desenvolver essas estratégias e, consequentemente, consolidar a proteção ambiental, o governo do Estado promove anualmente o Programa Município VerdeAzul, que busca certificar as cidades mais bem pontuadas no que diz respeito a ações sustentáveis promovidas em suas gestões. Na semana passada, O Imparcial noticiou que, na 10ª RA (Região Administrativa) do Estado, oito cidades receberam tal certificação por obter notas acima de 80 pontos – em um ranking que vai até 100. Tratam-se de Adamantina (83,62), Inúbia Paulista (80,84), Junqueirópolis (87,31), Monte Castelo (84,22), Presidente Prudente (91,26), Sagres (86,74), Santa Mercedes (80,91) e Tupi Paulista (84,79). Destas, duas, sendo Prudente e Junqueirópolis, receberam o Prêmio Franco Montoro pela boa colocação no ranking estadual.

A obtenção do selo destaca os esforços destas cidades em colocar em prática 10 diretrizes da agenda ambiental local e que têm como base os temas estratégicos: município sustentável; estrutura e educação ambiental; conselho ambiental; biodiversidade; gestão das águas; qualidade do ar; uso do solo; arborização urbana; e esgoto tratado e resíduos sólidos.

Além de dar aos municípios certificados o direito a recursos para preservação do meio ambiente, o programa cria uma competição saudável que visa estimular as prefeituras a investir em meio ambiente. Isso reflete positivamente no futuro do planeta, considerando que cidades mais sustentáveis implicam em melhor qualidade de vida para a população e preservação dos recursos naturais e da biodiversidade para a posteridade.