Forte esquema

Ação conjunta prende 21 pessoas em 3 Estados

Indiciados são acusados de integrarem organização criminosa que atuava em desvios de cargas; pontapé foi em Teodoro Sampaio

THIAGO MORELLO - Da Redação • 07/02/2018 11:42:17

O MPE (Ministério Público Estadual) e a Polícia Civil deflagram na manhã de ontem a Operação “Desvio Certo”, que prendeu 21 homens. Eles pertencem a um grupo de 27 membros, acusados de integrarem uma organização criminosa que atua em desvios de cargas nos Estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A ação da quadrilha gerou movimentação de R$ 8.371.509,56, entre os meses de fevereiro e maio de 2017. As prisões e 30 mandados de busca e apreensão foram solicitados em inquérito policial e decretados pela juíza Patrícia Érica Luna da Silva, da Comarca de Teodoro Sampaio.

Cenário onde tudo começou, uma vez que a operação teve início a partir de uma ocorrência interceptada pelo policiamento do município. Na época, a Polícia Civil prendeu três indivíduos em flagrante, surpreendidos na posse de uma carga de aproximadamente 11 toneladas de queijo, supostamente furtada em Cerqueira César (SP), no mês de maio de 2017. A “trama criminosa”, como tratada pelo policiamento, foi gerada a partir da apreensão dos celulares dos respectivos envolvidos na ocorrência.

Por meio dos áudios de WhatsApp encontrados nos dispositivos, a polícia chegou ao nome dos 27 envolvidos. A ação foi iniciada ontem e desencadeada simultaneamente em 18 municípios dos Estados mencionados. Ao longo do dia, imóveis foram visitados, para cumprimento dos mandados de apreensão e prisão, que resultaram na detenção, inicialmente, de 21 homens. Os presos foram ouvidos durante a tarde de ontem e encaminhados à Cadeia Pública de Presidente Venceslau, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Ainda na operação, foram localizadas e apreendidas notas fiscais de mercadorias, produtos variados e os aparelhos celulares dos novos presos, que serão analisadas pelos investigadores. De antemão, o setor de investigação elaborou um relatório que dissecou as notas fiscais que transitaram pelo aplicativo. A quantia mencionada inicialmente trata-se de um número relacionado pela soma das notas fiscais, isso sem computar mercadorias que foram negociadas desacompanhadas do documento fiscal.

Por conta disso, todos os envolvidos até então detidos e os demais “foragidos”, conforme a polícia, serão investigados por crimes de furto qualificado pelo concurso de pessoas, associação criminosa, comunicação falsa de crimes, lavagem de bens, direitos e valores e receptação. Em tal análise, entre notas e áudios, também foi possível relacionar o grupo ao registro de casos policiais em delegacias diversas, “tendo sido apurado ao menos cinco boletins de ocorrências referentes a roubos de cargas”, finaliza a polícia.

Para que a ação fosse realizada, houve a participação de 115 policiais civis na área do Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior-Oito), cuja sede é em Presidente Prudente, além de 30 viaturas. Fora isso também teve atuação de policiais civis de Santa Catarina e do Paraná.

 

NÚMEROS

27

Quantidade de membros identificados na organização criminos

21

Número de homens detidos durante o primeiro dia de operação

30

Mandados de busca e apreensão expedidos aos imóveis envolvidos

R$ 8.371.509,56

Valor movimentado pelo grupo entre fevereiro e maio de 2017

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste