A violência choca a população de bem

  • 21/02/2020 04:55
  • DA REDAÇÃO

O ano mal começou e a violência é motivo de dor, sofrimento, repulsa e indignação na população de bem. No mês passado muitas famílias choraram ao saber do assassinato brutal do ex-prefeito de Santo Expedito, vereador Valfrido Cauneto, 76 anos, e sua esposa Maria Vanda Bernardelli Cauneto, 68 anos. Imagine a cena: o filho chega ainda na madrugada para dar início a sua rotina de trabalho na propriedade de seus pais e os encontra mortos dentro de casa.

Pois bem, pior ainda foi quando o outro filho, o mais novo do casal, confessou à Polícia Civil que ele havia assassinado os seus pais. Ele tirou a vida daqueles que o trouxeram ao mundo, que o embalou quando chorava, que passaram noites em claro, que o alimentaram, educaram... O motivo? Ele disse que teve um “surto psicótico”.

Deus, o que está acontecendo com as famílias? Com o ser humano?

E na edição de hoje trazemos mais uma triste notícia que segue essa linha de desamor, falta de empatia pelo próximo, seja ele uma criança, um adolescente, ou um adulto desconhecido ou de dentro do próprio seio familiar como exposto acima.

Ontem, um aposentado de 69 anos, cabecinha branca já, senhor Wilson Simionato, foi encontrado em uma propriedade rural nas proximidades do Balneário Municipal de Rancharia inconsciente, com as mãos amarradas e bastante ferido. O pai de família, o avô que levou às netas ao colégio e depois iria à padaria, como de costume, mas não apareceu. A filha apelou às redes sociais para encontrá-lo, pois estava desaparecido desde o período da manhã. Infelizmente, depois voltou a publicar a triste notícia.

Ele chegou a ser socorrido, mas a gravidade de seus ferimentos venceu o socorro e ele morreu! Ao que tudo indica, conforme a Polícia Civil, foi roubo seguido de morte, conhecido como latrocínio.

A vida parece não ter mais valor algum. O mal tem adentrado todas as brechas que encontra e vai destruindo o que encontra pela frente.