A diplomacia é uma partida de xadrez

  • 03/11/2019 05:20
  • Persio Isaac

Sexta-feira, quase meia-noite. Quarto escuro, ar condicionado ligado no menos 50 graus, calor, mulher-maravilha dormindo o sono da mulher amada. Minha cachorra Amora me olhando com cara de interrogação. Ué Amora, estou sem sono. Resolvo jogar xadrez online. Aceito o desafio de um cara, não sei se ele era do Azerbaijão, da Mongólia, do Turquistão, de Marte ou de Saturno, pois, seu nome de guerra era Barakamun. O pior que esse estranho quer bater papo.

Começa o sofrimento linguístico: "Yaxşı". Eu tirei a conclusão que deveria ser um cumprimento normal e cordial. Respondi escrevendo o tradicional OI. Com certeza, como eu não entendi picirica nenhuma, ele também não deve ter entendido nada.

Começa o jogo. Estou com as brancas. Jogo a abertura do peão do Rei, E4. Ele responde com a defesa francesa, E6. O desafio desse jogo milenar é a conquista do centro do tabuleiro. Percebo que ele joga um xadrez posicional e o jogo fica truncado que não passava nem pensamento. Barakamun continua com sua comunicação de marciano com saturniano: "Siz yerdən mi"? Novamente coloco em ação os bilhões de neurônios, mas que infelizmente somente 10% da nossa capacidade cerebral funcionam. Para decifrar esse enigma linguístico nem o inglês, Alan Turing, conseguiria decifrar.

Ah vocês acham que eu já não tinha recorrido ao Google tradutor? Nem o Google e muito menos o Mestre Yoda, o maior de todos os Jedi, conseguiriam traduzir essa língua alienígena. Pelo ponto de interrogação imaginei que ele estaria perguntando de qual planeta eu era. Pergunta básica para qualquer começo de um bate-papo virtual das galáxias. Não queria conversar, queria jogar xadrez. Mas, como somos brasileiros, seja coxinha ou mortadela, respondi achando que era essa a pergunta: Sou de Presidente Prudente, que fica no oeste do Estado de São Paulo, Brasil.

Parece que ele entendeu, pois imediatamente respondeu: Brazil, Pelé. Só faltava essa, o cara é santista. Segue o jogo. Num jogo fechado, posicional, como estava, o cavalo é essencial pela flexibilidade dos seus movimentos. É a única peça do tabuleiro que pode pular sobre as outras peças. Seus movimentos sempre formam um L. E foi em um desses movimentos que o alienígena vacilou. Um xeque duplo com o cavalo, a tão cobiçada Rainha, caiu. Foi traída pela desatenção. Ele desistiu escrevendo: #€¥₩&£. Creio eu que essas palavras não foram nada republicanas. Respondi: "Que Pelé que nada, aqui é Corinthians". E assim derrotei um fã de Pelé. Vejam vocês.

 

 

ÚLTIMAS DO AUTOR

Persio Isaac

Persio Isaac

Persio Melem Isaac, empresário e cronista aos domingos em O Imparcial. Contato: persiomisaac@gmail.com

PUBLICIDADE