A Campanha da Fraternidade em prática no ambiente escolar

  • 04/03/2020 04:00
  • Wagner Botelho

A Campanha da Fraternidade, ação realizada anualmente pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) no período da Quaresma, tem como objetivo aproveitar este tempo favorável que antecede a Páscoa para despertar a solidariedade dos seus fiéis e da comunidade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um mote, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. Em 2020, o tema será: “Fraternidade e vida: dom e compromisso”, que tem como missão, conscientizar para o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduzem em relações de cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade e na sociedade.

O ambiente escolar é também um celeiro para fomentar discussões e organizar ações intercurriculares, colocando em prática assuntos de nosso currículo pedagógico. Por meio dos elementos inculturadores, os educadores podem dinamizar a temática nas sequências didáticas, projetos de intervenção, investigação e transversalmente no próprio conteúdo de sala de aula. Por meio da campanha os educadores podem dinamizar a temática, utilizando em projetos de intervenção, investigação e no próprio conteúdo de sala de aula.

A escola, de modo especial, a Rede Marista de Colégios, assume como projeto educativo todos os anos a Campanha da Fraternidade. Todos os anos as novas temáticas abrem muitas possibilidades de investigação, pesquisa, conscientização e mudança.

Propõe-se realizar atividades sistemáticas dentro da vida das crianças, adolescentes e jovens, vivenciando a temática e produzindo efeitos na vida dos alunos, educadores e familiares. Toda ação educativa necessita do engajamento do tripé família, escola e aluno. A autêntica transformação da educação precisa do comprometimento de todos os envolvidos no processo. Unificar conhecimento teórico e prático responde ao cultivar e guardar a criação.

No Colégio Marista Glória, o Núcleo de Pastoral deu início à temática apresentando a todas as turmas, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Como exercício, pensamos em algumas perguntas-chave: “Como é a vida urbana de nosso município?”; “Quais os pontos positivos e negativos de nossa vida?”; “Consigo enxergar, com empatia, as pessoas que sofrem e se encontram sem esperança de viver?”; “Valorizo, divulgo e fortaleço as inúmeras iniciativas já existentes em favor da vida?”; “Promovo com minhas ações a fraternidade e o cuidado como caminho de superação da indiferença e da violência?”, e por último: “Se temos problemas, o que deveria ser feito para que os espaços no colégio se tornassem mais apropriados?”

Agora, as turmas e professores terão o desafio de alargar o olhar e perceber o que ameaça a nossa vida como um todo. De maneira bem concreta e encarnada, queremos propor atitudes e comportamentos que coloquem nossa fé em prática, trazendo luz à uma série de angustiantes indagações: “O que aconteceu conosco?”; “Por que vemos crescer tantas formas de violência, agressividade e destruição?”; Perdemos, de fato, o valor da fraternidade?”. As reflexões irão além da Quaresma e os registros serão apresentados na Mostra Científico-Cultural do Colégio, agendada para outubro, e aberta para toda nossa comunidade educativa.

Se não colocamos em prática aquilo que acreditamos, de que adianta? O cristianismo se expandiu e atrai fiéis até hoje por conta do testemunho, compaixão e caridade.

ÚLTIMAS DO AUTOR