Cotidiano

A cada conquista do HRC, uma nova esperança na batalha contra o câncer

26/09/2018 05:00:00

Um sonho antigo, de toda a comunidade da cidade e também da região, vem se tornando realidade e trazendo cada vez mais esperança na vida de quem depende de tratamento, para vencer a luta contra o câncer. Idealizado por um grupo de voluntários, há mais de 20 anos, o projeto que originaria o HRC (Hospital Regional do Câncer) de Presidente Prudente tinha como objetivo, desde o início, facilitar o acesso dos pacientes da região aos serviços, evitando assim os deslocamentos a outros centros paulistas, como Barretos e Jaú.

De lá para cá, foram muitos degraus subidos. O que era pra ser um anexo da Santa Casa, com 9 mil metros quadrados de construção, se transformou depois em um hospital totalmente independente. Claro que não foi e continua não sendo fácil. Muitos recursos vieram do governo. A contribuição da comunidade então nem se fala. Quantos eventos, bazares, leilões beneficentes não têm sido realizados em Prudente e até em municípios vizinhos em prol do HRC? Quantas doações já não foram conseguidas? Artistas também se engajaram. Mas é preciso mais.

Na última semana, comemoramos o recebimento de R$ 3 milhões, de um contrato de R$ 6,8 milhões com o Governo do Estado, que serão utilizados para a construção e composição do Centro de Imagens e Diagnósticos.

Agora, na segunda-feira, o Ministério da Saúde concedeu ao Hospital Regional do Câncer, o Cebas (Certificado das Entidades Beneficentes de Assistência Social na Área da Saúde), que reconhece o trabalho filantrópico executado pela unidade. A partir desta portaria, conforme noticiado na edição de ontem, abre-se uma série de oportunidades para o HRC, seja na busca de recursos públicos e de convênios e, principalmente, na desoneração de tributos que incidem sobre a folha de pagamento.

Sem dúvidas, um significativo passo para que a unidade possa colocar em pleno funcionamento, ainda este ano - a previsão é agora em outubro, os setores de internação, com a disponibilização de 14 dos 140 leitos construídos, e cirurgia.

Atualmente, cerca de 350 pessoas são atendidas por dia no local, com serviços ambulatoriais, quimioterapia e radioterapia. Quantas outras não necessitam de tratamento e poderão encontrar no HRC, uma oportunidade para se tratar e ficar livre da doença? Que as contribuições e a solidariedade continuem... para que milhares de vida possam seguir também!

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste