Educação

718 servidores da região terão abono incorporado ao salário

Medida melhora a remuneração de inspetores e agentes de serviços escolares, que atuam nas unidades da rede estadual

Da Redação • 12/06/2018 13:52:04

Servidores do QAE (Quadro de Apoio Escolar) da rede estadual de ensino terão o abono que vêm recebendo incorporado aos seus salários. O anúncio, feito no final de semana pelo governador Márcio França (PSB), contemplará agentes de organização escolar (inspetores) e agentes de serviços escolares (merendeiras e profissionais que atuam na limpeza, manutenção e conservação das escolas). Somente nas diretorias de ensino da região, serão beneficiados 718 servidores, sendo 250 de Presidente Prudente, 212 de Adamantina, 133 de Mirante do Paranapanema e 123 de Santo Anastácio.

Atualmente, esses servidores recebem um salário de R$ 1.005,79, abaixo do salário mínimo vigente no Estado de São Paulo, que é de R$ 1.142,64. Para equiparar ao valor do mínimo, esses servidores recebem ainda um abono de R$ 136,85. Com a incorporação, os profissionais passarão a contar com uma melhor remuneração, o que terá impacto na valorização da sua futura aposentadoria.

A medida faz parte da Avaliação Especial de Desempenho para o Quadro de Apoio Escolar, recém-regulamentada, que também prevê que os servidores bem avaliados a cada ano sejam promovidos dentro de uma mesma faixa da respectiva classe. A avaliação será anual, no início do segundo semestre de cada ano letivo, e feita tanto pela equipe gestora de cada unidade de ensino como pelo próprio servidor.

Entre os critérios que vão nortear a avaliação destacam-se a capacidade de engajar-se com os objetivos da unidade escolar, a responsabilidade e o uso racional do material disponível, a facilidade de expressar ideias e fatos de forma clara e objetiva, a disposição para o trabalho em equipe, a capacidade de propor inovações no ambiente de trabalho, a iniciativa diante de desafios cotidianos, e, claro, a competência e a eficácia na realização de suas tarefas.

Para garantir a transparência do processo, o servidor deverá tomar ciência da avaliação de seu desempenho feita pela equipe gestora da unidade escolar. Se considerar o resultado injusto, o trabalhador poderá pedir uma reavaliação no prazo de 30 dias.

 

Com Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste