Operação Formigueiro

3 funcionários da Câmara de Taciba são presos acusados de desvio

Foram cumpridos dois mandados de buscas em empresas e um em imóvel; rombo no Legislativo chega a R$ 400 mil

ROBERTO KAWASAKI - Da Redação • 07/11/2018 13:35:00

Funcionários da Câmara serão ouvidos ainda hoje pela polícia. Foto: Arquivo

A Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão em desfavor de funcionários da Câmara Municipal de Taciba, durante a quarta fase da operação Formigueiro, ocorrida ontem. Trata-se de duas prisões preventivas contra a ex-vereadora e ex-presidente da casa de leis, Ivone Eduardo de Souza, e do atual diretor de Secretaria do Legislativo, Odair Aparecido Ferreira. Além destes, houve a prisão temporária de Norival dos Santos, contador da Câmara. Conforme a Polícia Civil, eles são acusados de participar do desvio de mais de R$ 400 mil de verbas públicas entre 2015 e 2018.

De acordo com o delegado Claudinei Alves, a Justiça ainda determinou, através de uma medida cautelar, o afastamento do cargo do atual presidente da Câmara, vereador Edson Vander Aragão Custódio dos Santos (DEM). A ação conjunta entre a Polícia Civil, MPE (Ministério Público Estadual) e TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), contou com a participação, nesta fase, da Secretaria da Fazenda.

Durante a operação, foram apreendidos documentos e aparelhos eletrônicos que podem constatar falsidade ideológica, uso de documento falso, organização criminosa, lavagem de capitais dentre outros crimes. “Ficou apurado que eles praticavam diversos crimes, onde produziam documentos contrafeitos, que por si, eram apensados a processos de prestação de contas, e não satisfeitos, jogavam no sistema de auditoria onde praticaram vários delitos. Ao final, o dinheiro era distribuído entre eles”, pontua Claudinei.

Funcionários da Câmara serão ouvidos ainda hoje pela polícia. Até a publicação deste texto, a reportagem não conseguiu os contatos dos advogados que respondem pelas defesas dos envolvidos na Operação Formigueiro.

Empresas suspeitas

Ainda ontem, os policiais efetuaram buscas em três localidades, sendo uma empresa de medicamentos em Regente Feijó, um posto de combustíveis em Taciba, bem como a residência do presidente da Câmara. “Ainda não se sabe a participação destes empreendimentos no crime, mas, paralelamente a este inquérito, outras pessoas devem ser investigadas por fraude de licitação e lavagem de dinheiro”, afirma o delegado.

Vale lembrar que em setembro, a operação prendeu temporariamente o diretor da Câmara Municipal de Taciba, Odair Aparecido Ferreira, suspeito de integrar um esquema de desvio de verbas públicas do Legislativo. Durante o cumprimento do mandado de prisão, foram apreendidos documentos públicos na casa do acusado, bem como uma quantia de R$ 6 mil.

No dia 13 do mesmo mês, o diretor da Câmara foi detido com R$ 60 mil em espécie após sair de uma agência bancária no município. Após abordagem, a caminho de sua residência, ele alegou que o valor seria proveniente de da venda de uma propriedade rural, o que é investigado.

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste