Palcos encantados

24º Fentepp terá18 peças, além de atividades formativas, de 9 a 18 de novembro, de graça

Público em geral está convidado para apreciar encenações com histórias fictícias ou que retratam implícita ou explicitamente a realidade do dia a dia

OSLAINE SILVA - Da Redação • 23/10/2018 06:00:00

Vem aí o evento que nos palcos ou nas ruas fala não apenas por meio de palavras contidas em um texto, mas através de figurinos, maquiagem, expressão corporal e facial do ator, pela música... Estamos falando do 24º Fentepp (Festival de Teatro de Presidente Prudente), evento tradicional já considerado o melhor do Estado de São Paulo e que nesta edição será aberto com a peça “Imortais”. Falta pouco mais de 15 dias, de 9 a 18 de novembro, para o público em geral parar para apreciar encenações com histórias teatrais fictícias ou que retratam implícita ou explicitamente a realidade do dia a dia.

Além dos 18 espetáculos divididos em classificação adulto (10), infantojuvenil (5) e de rua (3), o evento que é de realização do governo municipal, por meio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura) com apoio do Sesc traz uma diversificada programação com atividades formativas, bate papos, workshops, oficinas e jornadas de gestão cultural compondo a grade, oportunizando aos participantes o intercâmbio e a reflexão, assim como a expansão do discurso e da prática teatral.

Vale enfatizar que as atividades formativas consolidam-se como um lugar de formação e aprimoramento na linguagem e, sobretudo, configura-se como um espaço de ideias, de trocas, de encontros entre artistas locais e nacionais.

 

Espetáculos

Classificados ao público adulto serão apresentados os seguintes espetáculos durante o festival: “Imortais” (Mostacco Produções – Campinas/SP); “Consertam-se Imóveis” (Rio de Janeiro/RJ); Carta 01 - A Infância, Promessa de Mãe (Coletivo Estopô Balaio - São Paulo/SP); “A Ira de Narciso” (Gilberto Gawronski - Rio de Janeiro); “Hotel Mariana” (Cia. da Palavra - São Paulo); “Os Outros Reservas” (Aliteatro - Presidente Prudente), “Preto” (Companhia Brasileira de Teatro – Curitiba/PR); “O Torto Andar do Outro” (Cia. Pão Doce de Teatro – Mossoró/RN); Chão de Pequenos (Cia. Negra de Teatro - Belo Horizonte/MG); “Suassuna - O Auto Do Reino Do Sol” (Cia. Barca dos Corações Partidos - Rio de Janeiro).

Os infanto-juvenis são: "Terremota" (Cia. Bendita - São Paulo);Canções Para Pequenos Ouvidos” (Orquestra Modesta - São Paulo); "Henriques" (Cia. Vagalun Tum Tum - São Paulo); "Chapeuzinho Vermelho" (Projeto Gompa - Porto Alegre/RS); "A Festa do Pijama" (Grupo Oriundo de Teatro - Belo Horizonte).

Exalando beleza e plasticidade pelas “ruas” estarão os espetáculos: "O Concerto da Lona Preta" (Trupe Lona Preta - São Paulo); "Terra Abaixo, Rio Acima" (Cia. Cênica - São José do Rio Preto/SP); "A Casatória C' A Defunta" (Cia. Pão Doce de Teatro – Mossoró)

 

Programação paralela

Paralela à programação teatral outras atrações estarão sendo oferecidas em diversos locais com dança, show musical com MPB (Música Popular Brasileira), rock, Sarau da Urbe recheado de questões de âmbito social, cultural e político e tem como objetivo a integração cultural, discutir experiências e vivências que venham a fortalecer os movimentos de rua como: hip hop, recital de poesias, batalha de MC´s, pocket shows, performance de arte, dança e trabalhos musicais.

A programação diversificada ocorrerá em espaços na Unesp (Universidade Estadual Paulista), Prudenshopping, Parque Shopping Prudente, Praça Dóbio Zaina, Pista de Skate do Parque do Povo e Boulevard “Os Sombras e Os Temperamentais” no Centro Cultural Matarazzo.

 

“Imortais”

O espetáculo de abertura desta 25ª edição é “Imortais” (Mostacco Produções de São Paulo) que traz uma história em que a tradição e o contemporâneo se confrontam. Tendo como ponto de partida um ritual fúnebre chamado Coberta da Alma, a peça mostra o reencontro entre uma matriarca de rígidos princípios e muito apegada às tradições, que está doente e desenganada, com sua filha, que fugiu de casa há anos e retorna com um noivo - uma mulher em processo de transição para homem trans. Com a iminência do fim, surgem segredos do passado e inevitáveis confrontos: entre mãe e filha; entre a vida e a morte; o masculino e o feminino; entre a liberdade e a moral repressora. Conflitos que abrem a possibilidade de descobrir qual o ideal de pertencimento de cada um e o que, na experiência humana, pode nos tornar imortais.

 

Olho

Vale enfatizar que as atividades formativas consolidam-se como um lugar de formação e aprimoramento na linguagem e, sobretudo, configura-se como um espaço de ideias

 

 

 

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste