José Reis - Na manhã de ontem, presos do regime semiaberto deram continuidade ao projeto de revitalização da escola

Foto: José Reis - Na manhã de ontem, presos do regime semiaberto deram continuidade ao projeto de revitalização da escola

Regime semiaberto

21 detentos revitalizam prédio de escola em Prudente

Escola Estadual Monsenhor Sarrion recebe trabalho de limpeza e pintura em paredes; projeto prevê remissão de pena e remuneração

  • 06/02/2019 05:13
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Reportagem Local

Em Presidente Prudente, a Escola Estadual Monsenhor Sarrion está de aparência nova. Desde o dia 29 de janeiro, 21 sentenciados em regime semiaberto da Penitenciária Wellington Rodrigo Segura, do distrito prudentino de Montalvão, têm trabalhado para garantir a limpeza e reforma na estrutura do prédio da unidade escolar. Com rolos e latas de tinta em mãos, os reeducandos deram continuidade ao serviço de pintura da instituição logo na manhã de ontem, onde puderam colocar em prática uma atividade que contribuirá para a formação técnica quando chegarem ao final da pena. A ação faz parte do projeto Escola + Bonita, anunciado na semana passada pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSBD).

“O trabalho desenvolvido pelos rapazes ajuda a embelezar ainda mais o nosso espaço, e não podemos deixar de frisar a importância da participação dos reeducandos neste projeto. Tenho observado que eles trabalham com bastante amor e dedicação, e ficamos bastante felizes ao vê-los em nosso meio”, salienta Joana D’Arc Patrício do Nascimento, diretora da escola Monsenhor Sarrion. Esta é a primeira vez que a unidade escolar recebe o projeto de revitalização. Diante disso, a diretora afirma estar de “portas abertas” para que novas parcerias surjam futuramente. “Esta é uma oportunidade de inserir o detento na sociedade, e a qualidade do trabalho por eles prestado me deixou bastante segura”.

O processo de escolha para selecionar os sentenciados que participam da ação necessita seguir alguns critérios avaliativos. De acordo com Francisco Ildefonso, diretor de produção da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), o participante precisa estar encaixado em crimes de menores periculosidades. Em caso de ser detento primário é obrigatório ter cumprido um sexto da pena ou, caso for reincidente, um quarto da sentença. “É feita uma triagem com os rapazes que são submetidos ao curso profissionalizante. Para tanto, a cada 12 horas de trabalho é proporcionada a remissão de um dia da pena a ser cumprida. Além do mais, ele receberá remuneração por meio do curso Via Rápida Expresso, que oferece o curso de pintura aos sentenciados como forma de inserção social”.

Parceria

A parceria entre as secretarias estaduais de Educação, Administração Penitenciária e Desenvolvimento Econômico prevê a revitalização de 2,1 mil escolas até 2020. Em Prudente, outra unidade que contou com os benefícios do projeto foi a Escola Municipal Professor Ocyr Azevedo, no Jardim Eldorado. Lá, o trabalho que beneficiará 370 estudantes é realizado por 25 reeducandos, segundo informações da Prefeitura, e seguem até sexta-feira.

Reeducandos na ativa

A atividade exercida no território paulista é uma oportunidade de fazer com que a sociedade comece a ver o reeducando com outros olhos, deixando de lado o preconceito e receio de que ele continue a praticar novos atos criminosos. Giovani, 28 anos, diz estar contente por ter sido escolhido entre centenas de sentenciados. “Tive o privilégio de fazer parte deste grupo, e aprender a nova forma de aprendizado com a equipe técnica”, afirma o sentenciado. Os reeducandos Diego e Carlos, 32 e 36 anos, acreditam que a atividade contribuirá para o retorno ao mercado de trabalho. “Estamos sendo muito bem aceitos pelos funcionários da escola, e o melhor é que poderei levar os ensinamentos para outras pessoas”, considera Marcelo, 41 anos.

SAIBA MAIS

O Via Rápida Expresso é uma modalidade do Programa Via Rápida, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que tem como objetivo oferecer cursos de curta duração, na área da construção civil, para presos do regime de semiaberto, internos em regime de semiliberdade da Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) e trabalhadores desempregados. Em Prudente, desde 2016, nove locais receberam reformas por meio dos sentenciados. Entre eles, as escolas estaduais Comendador Tannel Abbud, Vereador Pedro Tofano, Professora Anna Antônio, Professor Hugo Miele e Doutor José Foz. Além delas, o Fórum de Presidente Prudente, Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior-Oito), Diretoria de Ensino da Região de Presidente Prudente e Caef (Central de Atenção ao Egresso e Família).