Cotidiano

2019 será um ano diferente, se assim forem nossas ações

  • 03/01/2019 04:05

Da forma que começou, 2018 acabou. Não foi fácil, tal como o ano anterior, 2017, foi difícil, travado, conturbado, mas terminou, e isso é o que importa. Agora é com 2019. Novas oportunidades, novos horizontes, novas expectativas, que precisam desaguar em ações práticas para que tudo seja diferente neste novo ano. Temos um novo governo, que promete – pelo menos no discurso – fazer tudo diferente dos anteriores para levar o país a um novo patamar a nível mundial, portanto, agora é a hora de trabalhar, de arregaçar as mangas, colocar a mão na massa e se movimentar para que o ano seja realmente novo, não apenas no calendário, mas também em resultados.

A máxima diz que “nada muda se a gente não mudar primeiro”. Pode soar clichê, mas de fato nada irá ser diferente neste ano se a mudança não começar em cada um, de maneira individual. Os dias antecedem e seguem a virada de ano, normalmente, são cheios de expectativas, perspectivas, promessas: “Neste ano vou emagrecer”; “Vou voltar a academia”; “Vou estudar mais”; “Vou ler mais livros”; “Vou me dedicar mais a minha família”; “Vou investir em algo novo”, enfim, a vida no próximo ano é vislumbrada de maneira perfeita, porém, quase sempre o dia 31 de dezembro chega novamente e, ao olhar para trás, não chegamos nem perto daquilo que tanto almejamos.

Está aí agora, diante de cada um de nós, a oportunidade para mudar esse ciclo. Fazer tudo diferente, sair da teoria e entrar na prática de nossas vidas, de maneira intencional e consciente de onde estamos e queremos chegar, ou manter o conforto e a comodidade do “mais do mesmo” e viver em 2019 as mesmas tragédias pessoais de 2018, 2017, 2016, 2015... Os anos passam, o calendário vira, as luas vêm e vão, mas quem tem a autonomia das nossas vidas somos nós e, reforçando o clichê, “nada muda se a gente não mudar primeiro”.