Pedro Silva: Entrega de R$ 50 mil em cheque-livros foi feita em solenidade na manhã de ontem à Seduc

Foto: Pedro Silva: Entrega de R$ 50 mil em cheque-livros foi feita em solenidade na manhã de ontem à Seduc

COMEÇA NO SÁBADO

2 mil alunos receberão cheque-livros para participar do Festival Literário

Cada estudante matriculado no 5º ano do ensino fundamental será contemplado com o valor R$ 25 para aquisição de obras; evento ocorre entre os dias 10 e 18

  • 06/08/2019 06:25
  • PEDRO SILVA - Da Reportagem Local

Com o objetivo de possibilitar o acesso da população ao universo da literatura, a Secult (Secretaria Municipal de Cultura) e a Seduc (Secretária Municipal de Educação), em parceria com o Sesc Thermas, realizam, a partir de sábado, a décima edição do Flitpp (Festival Literário de Presidente Prudente). Na manhã de ontem, em solenidade no Paço Municipal Florivaldo Leal, o prefeito Nelson Roberto Bugalho [PTB] entregou R$ 50 mil em cheque-livros à Seduc, arrecadados por meio de parcerias das secretarias. Os cheques serão distribuídos para 2 mil crianças da rede municipal de educação, matriculadas no 5º ano do ensino fundamental.

Os alunos que serão contemplados receberão o valor de R$ 25 cada para utilizar durante o festival. A Seduc orientou aos professores que deixem os estudantes livres para escolherem o título que quiserem, também podendo levar para casa mais de um exemplar se a quantia permitir. Segundo a secretária de Educação, Sônia Maria Pelegrini, o cheque-livro será oferecido como um presente aos estudantes que estão deixando a educação municipal - ao completar o 5º ano - para ingressar na estadual.

Com o valor, a secretária diz que as crianças poderão adquirir entre três ou quatros livros, ou um exemplar de “leitura mais elaborada”, que poderão ser utilizados até a adolescência. Sônia ressalta a importância do ato, pois o exemplar adquirido através da doação do valor muitas vezes é o único livro que as crianças terão disponíveis em suas casas. “Para algumas crianças, isso é um divisor de águas”, pontua.

O prefeito parabenizou o secretário de Cultura, José Fabio Sousa Nougueira, pelo “desdobramento” para não cortar nenhum evento cultural da cidade. Bugalho comenta que a administração chegou a cogitar não realizar o evento nesse ano, devido à crise econômica que assola o país, sendo “uma triste realidade”.

Desenvolvimento social

Segundo a organização do evento, a leitura é de extrema importância para a formação do indivíduo. A representante do Sesc, Fabiola Gaspar, se diz feliz pela decisão da Prefeitura em manter o festival, apesar do cenário econômico do país, uma vez que, segundo ela, os primeiros setores a sofrerem cortes em tempos difíceis são os de cultura e educação.

Ela ressalta que o Sesc tem o papel de apoiar cada vez mais ações culturais, prezando pela cultura e educação, e ainda comenta que “o incentivo do primeiro livro é fantástico”; “A leitura permite que as pessoas possam ‘de forma crítica olhar a sociedade e poder lutar pelo bem social’”.

Contenção

O Flitpp acontecerá, porém de forma mais contida. O prefeito ressalta que mesmo com um evento menor, o importante é que ele seja realizado. “Eu fico muito feliz que teremos o nosso festival literário esse ano, e em 2020, se Deus quiser, a economia melhora, e poderemos fazer um evento maior que o deste ano”, comenta.

O secretário de Cultura, que está de férias, mas veio para a entrega dos cheque-livros, acrescenta que no país, museus estão sendo fechados, festivais de teatro cancelados, secretarias de Cultura afetadas e até extintas, e o ato de manter a agenda cultural do município é importante para seguir as tradições. Segundo ele, não realizar uma edição de eventos anuais prejudica e muito provavelmente acaba com eles. “Não cortamos a árvore, só podamos os galhos e estamos mantendo a árvore em pé, regada e adubada, e assim ela vai crescer de novo”, comenta José Fábio.

Educação

A secretária de Educação classifica o evento como de extrema importância, pois educação e cultura andam juntas, e a literatura é um dos pilares da educação. “A criança deve ter acesso a vários livros, à literatura, a atividades culturais, para que ela também possa se desenvolver plenamente”, comenta Sônia, frisando que o evento não pode mais sair do calendário do município.

Os professores foram orientados a deixar os alunos escolherem os livros, mas foram instruídos a indicar para os estudantes títulos que serão de maior proveito. A Seduc e a Secult escolheram os títulos que serão oferecidos ao público, e todos os exemplares terão valores populares.