Reavivando memórias

11ª Nippon Fest preserva história e traz conhecimento

Evento ocorre nesta sexta e sábado, em Álvares Machado, oferecendo comidas típicas, danças culturais e músicas aos visitantes e moradores da cidade que celebra 100 anos da imigração japonesa

SANDRA PRATA - Especial para O Imparcial • 02/08/2018 05:15:00

Foto: Arquivo - Graças ao voluntários festa é sucesso, neste organização conta com a contribuição de cerca de100 colaboradores

Todo ano descendentes orientais têm a oportunidade de homenagear aqueles que já passaram por essas terras e deixaram marcas que perduram na formação social até os dias de hoje. Em Álvares Machado a colônia japonesa da cidade completa 100 neste 2018, por isso a 11ª Nippon Fest será dedicada especialmente à data. A festa que já é tradicional no município, ocorre nesta sexta-feira, a partir das 19h, e sábado, às 18h, no clube japonês Kaikan. O evento que aguarda cerca de 2 mil pessoas, é organizado pela Aceam (Associação Cultural, Esportiva e Agrícola Nipo-Brasileira de Álvares Machado).

Segundo o secretário da Aceam, Alberto Yokio Nakada, entre as opções disponíveis aos convidados, o local terá praça de alimentação com comidas típicas, danças tradicionais japonesas, shows musicais e nessa edição com duas novidades, uma exposição sobre gueitebol e oficinas de origami.

Conforme o descendente, o evento é de grande importância para manter a tradição inserida na sociedade do município viva, além disso, de reavivar a memória japonesa na história de Machado.

“Eles contribuíram muito com a nossa educação, nossos hábitos e nossa cultura, é um legado que reflete até hoje, é nossa missão agradecer e relembrar os antepassados tanto no Nippon quanto em outras festas do nosso calendário”, explica Alberto.

Entre as atrações artísticas que chamam a atenção do público, Alberto destaca as danças típicas odori e bondori, karaokê e shows musicais. “Na sexta vamos receber artistas locais e no sábado o show do cantor Cristiano Nobuhiro Hirata, parceiro de outros eventos”, expõe.

De acordo com Alberto, com o passar dos anos o evento foi ganhando força e hoje faz parte do calendário municipal. “Uma coisa interessante nesta 11ª edição é o plano de fundo da primeira Nippon Fest que também foi um centenário da imigração japonesa, mas, em âmbito nacional”, explica.

Novidades da edição

Segundo Alberto as oficinas de origami são gratuitas e serão realizadas nos dois dias. O objetivo da atividade é integrar a população com hábitos culturais e agregar conhecimentos. “Valorizamos nossa cultura e queremos passar para os demais, principalmente para as novas gerações. Não podemos deixar que a memória histórica morra”, enfatiza.

Sobre o gueitebol, Alberto explica para quem não conhece que é um esporte praticado com taco e bola em quadras de terra ou em gramados é tradicional no Japão, por isso, irá protagonizar uma exposição completa com itens relacionados ao jogo transmitindo aos apreciadores fragmentos da cultura, arte e vivência.

“Apesar de este ano estarmos comemorando o centenário, também vamos abordar esses detalhes que muitas vezes passam despercebidos pela população oriental. A ideia da exposição é aproximar os jovens deste esporte que, na cidade, tem maior número de praticantes na faixa etária de 80 anos. Temos um campo próprio para o gueitebol e queremos incentivar os jovens a conhecerem e praticarem essa modalidade”, explana.

Arquivo - Alberto diz que evento foi ganhando força e hoje faz parte do calendário municipal

Culinária ocidental

Graças ao voluntários a festa é sucesso ano a ano. Segundo Alberto nesta edição a organização contará com a contribuição de aproximadamente 100 colaboradores trabalhando na produção dos alimentos que estarão disponíveis na festança.

Entre os pratos que estão os famosos sushis, sashimi e yakisoba, tempurá, yokan, motí, karinto, mandiú e comidas brasileiras como churros, pastel e espetinho. “A culinária é o setor mais aguardado pela população. Hoje em dia as comidas da cultura japonesa são muito populares, todo mundo conhece dois ou mais restaurantes especializados na culinária do nosso povo. Todo evento que conta com praça de alimentação servindo essas comidas é um sucesso”, menciona o secretário da Aceam.

 

“Eles contribuíram muito com a nossa educação, nossos hábitos e nossa cultura, é um legado que reflete até hoje. É nossa missão agradecer e relembrar os antepassados tanto no Nippon quanto em outras festas do nosso calendário”

Alberto Yokio Nakada

secretário da Aceam

Serviço

A 11ª Nippon Fest será realizada no clube japonês Kaikan localizado na Rua Fernando Costa, 292, no centro em Álvares Machado (SP). A entrada do evento é de R$1. Na sexta-feira, a festa começa às 19h, já no sábado, às 18h.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste