Sexta-Feira . 22 Fevereiro . 2019

1º TORNEIO DE BADMINTON É REALIZADO EM PP

Com menos de um ano de atividade, escolinha conquistou com três atletas os Jogos Abertos do Interior 2018

Marcio Oliveira: Foi por conta de Enzo Anzai que projeto começou na Vila Iti Marcio Oliveira: Foi por conta de Enzo Anzai que projeto começou na Vila Iti

O Ginásio Marcelo Siqueira, da Vila Iti, sediou na manhã de ontem, das 8h30 às 13h, o 1º Torneio Legado Olímpico “Claudinei Quirino” de Badminton, em Presidente Prudente. Os atletas de formação básica da escolinha da Adoar/Semepp que participaram do evento, tiveram a grata oportunidade de estarem juntos com Enzo Anzai, que defendeu a seleção brasileira de badminton no Sul-Americano da modalidade, no Peru no ano passado pela categoria sub-17, onde conquistou duas medalhas de bronze em duplas para o país. Todos receberam medalhas ao final das competições. “Esse torneio é a consagração do trabalho que a Adoar/Semepp vem realizando junto à comunidade local, uma vez que a modalidade do badminton, com menos de um ano na cidade, conquistou os Jogos Abertos do Interior com a participação de três atletas de formação da nossa escolinha”, destaca o coordenador do projeto Edmilson Anzai.

A pequena Lorena Vitória Moreira Viana de Almeida, de 8 anos, foi uma das aluninhas que ganhou duas medalhas nesse primeiro torneio! “Eu adoro jogar. Comecei aprendendo com uma bexiga, agora já jogo com a peteca. É muito legal!”, expõe a garotinha toda feliz.

Segundo o coordenador, todos os clubes da região que praticam o esporte foram convidados para participar do evento, mas infelizmente por ser início de ano e muitas prefeituras ainda estarem organizando seus orçamentos de transporte, não tiveram como vir.

Edmilson explica que o significado do legado olímpico lembra em primeiro momento o ano de 2016 quando Enzo e Claudinei Quirino [secretário de Esportes de Presidente Prudente] conduziram a tocha olímpica na cidade. “Ai já tem um simbolismo grande! E queremos que ambos deixem de fato um legado sobre esse ocorrido. Queremos com nosso projeto encontrar um talento da Vila Iti que se destaque nacional e internacionalmente. Graças a Deus já encontramos e estamos trabalhando esse atleta que é o Fernando Júnior, que a partir desse ano já participará dos torneios estaduais e nacionais. Atualmente, temos dois atletas em competição nacional, estadual e internacional, o Pedro Henrique de Oliveira Silva um dos responsáveis pelas vitórias que o município conquistou nos Jogos Abertos, na cidade de São Carlos [SP] e o Enzo”, menciona Edmilson.

Oportunidades

Edmilson é enfático ao afirmar que este trabalho reflete a uma condição de oportunidades. De acordo com ele, esse trabalho começou até por acaso. Na ocasião, Enzo que é oriundo do Sesi, que na época deixou de participar de competições nacionais e internacionais, precisou sair e buscar outra opção para continuar participando dos torneios e não perder sua posição de ranking. Foi quando procurado, Claudinei Quirino cedeu o ginásio da Vila Iti para que o Enzo pudesse treinar.

“Sentimos a necessidade de devolver algo para a comunidade local e para o município. Como as crianças começaram a ver o Enzo treinar passamos a dar a peteca e a raquete para que brincassem e de repente um ‘enxame’ de crianças queria participar da atividade. Foi crescendo tanto que as próprias pessoas da comunidade foram até o secretário e expuseram a vontade de jogarem. Então ele nos pediu que abríssemos uma condição para que pudessem ter uma noção do que realmente é o badminton como esporte, pois até então eles estavam vendo apenas como forma lúdica”, comenta Edmilson.

 

“O esporte tem essa magia de transformação. Demora um pouquinho para algumas conquistas, mas ninguém nasce grande, isso é apenas uma sementinha que estamos plantando para ter uma árvore que dê bons frutos”

Claudinei Quirino

secretário de Esportes

 

O coordenador lembra que ação foi ganhando corpo, e o município que iria participar dos Jogos Regionais não tinha atleta para competir. “Conseguimos com nossos alunos que o badminton prudentino fosse notícia em toda a região com o primeiro lugar nos Jogos Abertos! Vem dando certo. A Ardoar viu no projeto a oportunidade de fazer um braço usando o esporte como um canal de abertura de acesso nas comunidades. E percebemos que na Vila Iti isso existe, talvez por conta da escola de samba da Unidos da Zona Leste. Então estamos usando o trabalho que a escola já faz há muito tempo e envolvendo a família nesse esporte lúdico que permite desde a criança com 4 anos de idade até o vovô de 90 participar”, acentua o coordenador do projeto de badminton.

 

Feliz homenagem

Claudinei Quirino comenta que muitas foram as pessoas que não acreditaram quando os moradores da Vila Iti o procuraram para investir nessa modalidade esportiva, que praticamente ninguém conhecia. Mas, ele acreditou no trabalho da família Anzai que, mais que uma escolinha, promovem naquele ginásio uma recreação que as crianças adoraram.

Ele narra que dali vieram medalhas para Presidente Prudente no ano passado nos Jogos Abertos. Da crianças da zona leste, de um bairro simples que tem tudo a ver com a sua origem. Ele diz se sentir em casa com eles.

“Eu contei às crianças que quando comecei era mais ou menos isso, quase ninguém acreditava no meu trabalho, eu não tinha um tênis, um material adequado para participar do atletismo, mas a minha força de vontade sempre foi muito grande e as pessoas que tive ao meu lado dando oportunidade, me fizeram ser um campeão. E a filosofia de vida que o pessoal está ensinando para as crianças nesse lugar é a mesma que aprendi: ‘se eu não sair daqui um grande campeão vou sair pelo menos um campeão na vida, um ser humano. Quer homenagem melhor que esta?”, indaga o atleta olímpico brasileiro, hoje titular da Semepp.

Claudinei comenta que ainda são poucos os praticantes, mas tem certeza que vai crescer. Inclusive já tem planos para abrir outro polo. O atleta salienta que o projeto é muito importante no atual momento em que a criminalidade é grande, as drogas estão em todos os lugares e as crianças à margem de toda essa violência.

“Olhando para a quadra e vendo de um lado as crianças jogando, do outro, mães também competindo. Outras na arquibancada com bebês no carrinho assistindo a filha que está ali se divertindo. É isso que o esporte faz. Tem essa magia de transformação. Demora um pouquinho para algumas conquistas, mas ninguém nasce grande, isso é apenas uma sementinha que estamos plantando para ter uma árvore que dê bons frutos. O mais importante é o respeito, saber ganhar, perder, respeitar o adversário e acima de tudo ter educação. Todos os alunos estão praticando esportes, mas também dentro da escola!”, acentua o atleta olímpico brasileiro.

 

SAIBA MAIS

CURIOSIDADE BADMINTON

Edmilson Anzai explica que o badminton tem formato do tênis de campo, com três sets de 21 pontos. Os atletas sacam sempre de forma contrária como ocorre com o tênis e tênis de mesa. A diferença é que o jogo de badminton é mais rápido, pois a peteca atinge uma velocidade recorde de mais ou menos 410 quilômetros/hora, ao passo que, uma bolinha de tênis não chega a isso. A raquete é bem mais leve, pesa em média 30 a 50 gramas, o que vai depender de nível: iniciação, intermediário e alto rendimento.