Paulo Miguel - Bugalho empossou solenemente os conselheiros, representantes de 11 entidades

Foto: Paulo Miguel - Bugalho empossou solenemente os conselheiros, representantes de 11 entidades

COMAPP

1º grupo de conselheiros em defesa dos animais é empossado

Ao todo, 11 entidades públicas e privadas são representadas no conselho, todas elas com um membro e um suplente

  • 04/10/2019 05:16
  • MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

O Comapp (Conselho Municipal de Proteção aos Animais de Presidente Prudente), criado em lei de 2013, finalmente viu ser empossado pelo prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB), seu primeiro grupo de conselheiros. A solenidade ocorreu ontem no gabinete do Paço Municipal Prefeito Florivaldo Leal.

Com o objetivo central de auxiliar o poder municipal em projetos que visem à proteção aos direitos dos animais no município de Presidente Prudente, 11 entidades públicas e privadas são representadas no conselho, todas elas com um membro e um suplente. Somente as ONGs (organizações não governamentais), representadas pelo Beco da Esperança, possuem sete representantes no Comapp.

Haverá num futuro próximo a reunião que definirá os cargos de diretoria do conselho, explica a conselheira, representante da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Cássia Calderan Cordobe, 48 anos. Ela afirma que a presença da secretaria neste grupo “faz diferença”, tendo em vista que eles já realizam constantemente ações contra maus-tratos a animais, tendo, inclusive, recentemente aprovado uma lei que enrijece o combate a esses crimes, aplicando multas mais severas.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) também está presente no conselho, por meio do presidente da comissão de defesa e proteção animal da instituição, Lucas França Bressanin, 29 anos. “A OAB é um órgão representativo de classe, por isso, deve estar presente em todos os interesses sociais”, destaca.

Marcio Kashiwa estava na posse representando as ONGs. Para ele, a união de forças em prol à proteção animal ajuda na realização de seu trabalho, tendo em vista que a instituição “funciona como um aparo, um respaldo aos profissionais”.