SUSTENTABILIDADE

Unoeste inaugura maior usina solar do Estado

Universidade investiu R$ 12 milhões na implantação do empreendimento considerado o maior fotovoltaico de São Paulo no modelo de geração distribuída autoconsumo

11/03/2019 21:16 • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação
Cedida/AI da Unoeste - No local, são 9,6 mil módulos voltaicos conectados em 40 mil m² Cedida/AI da Unoeste - No local, são 9,6 mil módulos voltaicos conectados em 40 mil m²

A Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) inaugurou ontem a Usina Solar Fotovoltaica com 3,12 megawatts-pico (MWp) de potência, considerada uma das maiores usinas solares fotovoltaicas do Brasil no modelo de geração distribuída autoconsumo até 5 MW, e a maior do Estado de São Paulo, segundo a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do governo paulista. É estimada uma economia média mensal interna de 80%, considerado que o abastecimento será total no campus II, em Presidente Prudente, com a possibilidade de a geração excedente contemplar parte do campus I da instituição.

A área de instalação da usina equivale a mais de 4 vezes o Maracanã,  maior estádio do país e com capacidade para abastecer a 2,5 mil residências, se comparado a uma cidade. No local foram instalados 9,6 mil módulos voltaicos numa área de 40 mil m² conectados e ligados ao eletrocentro, que é o centro de comando da usina que conta com monitoramento online.

De acordo com o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, Adilson Eduardo Guelfi, além de uma economia na conta de energia mensal trata-se de uma tecnologia considerada como fonte de energia limpa e renovável e principalmente com impacto zero ao meio ambiente. “A oportunidade traz uma inovação para região e promove o desenvolvimento regional alinhado com a estratégia da universidade de sustentabilidade”, destaca.

Na ocasião esteve, por meio de convite da Sices Brasil, responsável pela implantação da usina solar da Unoeste, o polonês idealizador do Solar Business Club, Tomasz Slusarz. O visionário trabalha com energia há 15 anos porque considera a importância de ajudar pessoas e países com a promoção de energia renovável.  “Eu decidi montar a Solar Business Club na América Latina na cidade de São Paulo, porque o Brasil irá gerar muitos trilhões de energia limpa graças a empreendedores como a universidade”, declara.

O diretor de novos negócios da Sices Brasil, Lucas Tróia, considera o projeto como emblemático para a região do oeste paulista e principalmente para os estudantes da universidade, pois considera importante formar futuras gerações cada vez mais preparadas e acostumadas com fontes renováveis. “Ter esta usina é uma atitude visionária e um exemplo que estão deixando às gerações. A usina estará aí para os próximos 30/ 40 anos e será um exemplo para todos para os jovens que estão começando a carreira e que vão ter hoje no DNA uma energia renovável”, ressalta.

O ligamento oficial da usina fotovoltaica foi feito por Augusto Cesar de Oliveira Lima, diretor geral da Apec (Associação Prudentina de Educação e Cultura) mantenedora da universidade, o então filho do fundador Agripino de Oliveira Lima Filho. No local estavam presentes representantes políticos, lideres de empresas regionais e funcionários da Unoeste.

Geração de energia

A energia solar é aquela obtida por meio da conversão direta da luz do sol em eletricidade, isso ocorre através de um efeito chamado fotovoltaico que é o aparecimento de uma diferença de potencial nas extremidades de material semicondutor, produzida pela absorção da luz. A célula fotovoltaica é a unidade fundamental para esse processo. Outro ponto positivo é que a usina fotovoltaica gerará energia a custos bem baixos.

O engenheiro eletricista do Departamento de Obras (DPO) da universidade, Ednei Zaupa, explica que a energia solar é uma fonte de energia renovável e inesgotável. “Ao contrário dos combustíveis fósseis, o processo de geração a partir dela não emite gases poluentes nocivos à saúde e que contribuem para o aquecimento global”. Outro benefício, segundo ele, é que os painéis solares requerem áreas menos extensas do que as hidrelétricas, e suas centrais precisam de manutenção mínima. “Em países tropicais, como o Brasil, a energia solar é viável em praticamente todo o território”.

Parcerias

O projeto na Unoeste envolveu as empresas Sices Solar e Sunevo, sendo visto como uma importante conquista para a universidade. A importância desta parceria para o pró-reitor Adilson Eduardo Guelfi é ter o projeto bem executado, sendo concebido e planejado por empresas que têm representações internacionais. “Foi uma parceria muito boa realizada entre a Sices Brasil e Sunevo e a Unoeste e dessa forma podemos proporcionar um desenvolvimento regional vanguarda em tecnologia”, afirma. 

O Solar Business Club é um braço de negócios do Solar Future Today, plataforma global que conecta líderes, tem a chancela do professor Alan Heeger, Prêmio Nobel de Química (2000) e do professor Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz (2006) e une influenciadores para moldar e liderar a transição para um mundo mais sustentável.