Cedida - Rotta Madry comemora uma década, vaga para a final e classificação para Série Ouro do Municipal de Futsal

Foto: Cedida - Rotta Madry comemora uma década, vaga para a final e classificação para Série Ouro do Municipal de Futsal

FUTSAL

Rotta Madry celebra 10 anos com vaga na Ouro

Tudo começou em 2009, depois de ganharem um torneio de futebol de areia na zona leste da cidade, que era voltado apenas para garotada abaixo de 18 anos

  • 24/07/2019 07:49
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

A equipe de Futsal Rotta Madry está comemorando uma década de existência em 2019. Entre os presentes, os jogadores do time ganharam não só a vaga para disputar a final do Campeonato Municipal de Futsal da Série Prata, de Presidente Prudente, na sexta-feira, mas garantiram a classificação para a Série Ouro no ano que vem.

Antonio Rodrigues, o Guga, de 29 anos, que atualmente é o responsável pelo time e reveza como técnico com Wesley Augusto, ressalta que é um grande motivo para comemorar, pois desde 2015 não chegavam em uma final. “Acredito que focados na comemoração desses dez anos entramos com mais determinação em todos os jogos. Nossas expectativas são as melhores possíveis, sem desrespeitar, é claro, o adversário Minhoca de Aço, porque sabemos que é um dos maiores campeões e é bastante difícil ganhar deles. Mas pretendemos entrar com muita vontade, com empenho de cada um dos atletas para conseguirmos a vitória e nos consagrarmos campeões”, almeja o técnico.

Guga conta que tudo começou em 2009, depois de ganharem um torneio de futebol de areia na zona leste da cidade, que era voltado apenas para garotada abaixo de 18 anos. “Fui convidado por meu irmão que juntou alguns amigos da escola para a disputa. Foi quando ganhamos o primeiro troféu e tivemos a ideia de criar o time de futsal. Disputávamos alguns torneios e campeonatos, o que foi nos dando suporte para agregar valores e fortalecer o grupo. Em 2015 entramos na Liga de Prudente disputando a Segunda Divisão, onde formei uma diretoria contanto com a maioria dos atletas que iniciaram no time”, recorda.

Apoio

Segundo ele, infelizmente falta apoio à pratica do futsal. Conforme ele, apenas um campeonato é realizado ao ano e muitas vezes faltam até adversários para marcar amistosos. “A falta de apoio gera a ausência de adversários. Por isso passamos a jogar society também. Convidei alguns amigos próximos e atletas que já jogaram no time em outras oportunidades”, salienta o técnico.

Guga explica que hoje o Rotta Madry conta com mais de 27 atletas mantendo a maioria da base. Ele explica que no futsal são quatro jogadores mais o goleiro. Já no society, são seis na linha e o goleiro. “Hoje em dia a rotatividade de um time amador é muito grande, mas graças a Deus a amizade do nosso grupo é maior. Posso afirmar que somos um grupo não apenas de amigos, mas sim uma família. Quem entra dificilmente quer sair, pois acima de vitórias ou derrotas o que prevalece sempre é a afetividade e com isso temos sempre a mesma base!”, exclama Guga