COTIDIANO

É preciso delimitar um espaço para fugir de pessoas negativas

  • 19/05/2019 04:00

Seja em casa, no trabalho ou na rua. A todo o momento, estamos cercados de pessoas com pensamentos negativos. Dependendo do grau e frequência com que isso ocorre, é possível que quem esteja ao lado acabe sendo “contagiado” pela sensação ruim transmitida pelo outro. E abrir as portas para que isso se torne parte do seu cotidiano é o sinal de que está seguindo pelo mesmo caminho de quem o transmitiu. A sensação ruim pode caracterizar a fraqueza que surgiu de alguma situação no passado que fez com que ela perpetuasse por toda a trajetória vivida, até chegar ao ponto de realmente atrapalhar os momentos bons da vida. Ao mesmo tempo, é importante enxergar o outro lado: o de defesa. Talvez, este seja o mais importante a ser considerado por quem espalha as energias negativas, o que precisa ser dosado.

Pode parecer difícil tentar se livrar da sensação ruim. Mas, não é impossível. Uma das técnicas utilizadas por psicólogos e terapeutas é a delimitação do espaço. Até que ponto vai deixar a situação invadir a sua área? Não podemos negar que o pessimista vai tentar, de qualquer forma e com força, levar a pessoa para o campo dele. No entanto, a partir do momento em que ela coloca “o basta” na própria situação, a tendência é de que “caia a ficha” daquele que está incomodando. Esse “basta” pode ser feito mentalmente, sem falar diretamente para o indivíduo, uma vez que ele poderá se sentir mal e, de certa forma, isso contribuirá para que o sentimento de culpa surja nos dos dois lados, o que não é positivo.

É importante considerar que o pensamento negativo é alimentado por ações do dia a dia, muitas vezes, difíceis de lidar. Como maneira de se defender das dificuldades, o indivíduo acaba utilizando a negatividade para evitar frustrações maiores. Atualmente, a sociedade tem vivido momentos estressantes por conta das adversidades a que está exposta, principalmente, em relação ao desemprego, falta de dinheiro e acúmulo de dívidas. Porém, tais situações não podem ser ditas como motivos para andar de cabeça baixa e distribuir o sofrimento aos demais. A sensação de que tudo dará errado pode ser evitada por meio da autoconfiança. Ela não surge de uma vez, é preciso que seja conquistada aos poucos, por meio de pequenas mudanças no estilo de vida e descobertas dos prazeres que ela oferece.