EM 2º GRAU

Polícia prende ex-provedor da santa casa de Venceslau

Antônio José Aldrighi dos Santos e Gilmar Aparecido Alves Bernardes são acusados de desvio de verbas de emendas parlamentares

  • 21/03/2019 19:03
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

A Polícia Civil em Presidente Venceslau prendeu dois empresários condenados em segunda instância pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), por acusações de desvio de verbas de emendas parlamentares de deputados estaduais e federais a hospitais filantrópicos. Os mandados foram cumpridos ontem, diante da operação deflagrada em 2016.

De acordo com o Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior-Oito), os empresários Gilmar Aparecido Alves Bernardes e Antônio José Aldrighi dos Santos, foram localizados em Presidente Prudente. Em sentença judicial publicada no ano passado, o empresário Gilmar recebeu condenação de sete anos e sete meses de reclusão, e Antônio José, ex-provedor da santa casa de Presidente Venceslau, a pena de seis anos, seis meses e vinte e cinco dias, ambos em regime semiaberto.

O advogado Emerson Longhi, que atua na defesa de Antônio José, disse que pretende entrar com recurso especial contra a decisão. Ainda, reforçou que, depois de seis meses, o acusado passará para regime semiaberto. A reportagem não obteve o nome da defesa de Gilmar.

Desvio de verbas

A Operação Sanctorum foi deflagrada em junho de 2016 pela Polícia Civil de Presidente Venceslau, para investigar o suposto esquema de desvio de verbas de emendas parlamentares de deputados estaduais e federais a hospitais filantrópicos, destinadas a compra superfaturada de equipamentos médico-hospitalares.

Conforme divulgado no decorrer da investigação, as verbas parlamentares eram destinadas à compra de equipamentos, no entanto, o dinheiro precisava ser gasto com empresas indicadas pelo esquema. Elas foram apontadas como fachadas, uma vez que estavam em nomes de terceiros. Na época, cinco pessoas foram presas acusadas de participação.