José Reis - Cauê Henrique Lopes Madureira representa PP no Pan-Americano de Cheerleading, no dia 19 de outubro, na Costa Rica

Foto: José Reis - Cauê Henrique Lopes Madureira representa PP no Pan-Americano de Cheerleading, no dia 19 de outubro, na Costa Rica

ENTREVISTA

“Os treinos são exaustivos, mas não acho ruim, pois amo o esporte”

Cauê Henrique Lopes Madureira - CHEERLEADING

  • 06/09/2019 07:25
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Presidente Prudente terá um representante na Costa Rica, no Pan-Americano de Cheerleading, no dia 19 de outubro. Isso mesmo, Cauê Henrique Lopes Madureira, 25 anos, faz parte daqueles grupos que animam as torcidas de jogos que estamos acostumados a ver, principalmente em filmes. Não, não é uma modalidade só para mulheres, mas para ambos os sexos! Um esporte composto por movimentos de dança, acrobacias e ginástica se transformam em uma composição coreográfica bonita que exige, sobretudo, bom preparo físico. Cauê, que treina um time em Presidente Prudente, o Lynx All Star, convida a quem tiver interesse em participar que entre em contato pelo Instagram ou Facebook (@lynxallstar.

Como recebeu a notícia de que iria para o Pan-Americano de Cheerleading? Onde e quando será a competição?

Primeiramente eu participei de uma seletiva, por vídeos, depois de uma presencial realizada no Rio de Janeiro [RJ]. Não demorou muito e recebi pelas redes sociais um certificado de aprovação da seletiva. O Pan-Americano será no dia 19 de outubro, na Costa Rica.

Quais os próximos passos até a competição?

Teremos finais de semana com treinos intensos, até outubro! O maior problema para mim é que são todos no Rio de Janeiro e pesa bastante, financeiramente, ter que arcar com todos os gastos de passagens até lá, além de inscrição no campeonato, uniformes e passagem para Costa Rica também.

Como são os treinamentos?

São muito intensos, especialmente por serem realizados apenas em alguns finais de semanas, e a competição já está em cima. Os treinos são aos sábados e domingos durante o dia todo, então acaba sendo bastante exaustivo, coisa que não acho ruim [risos], pois amo o esporte e treinaria muito mais se possível.

Quais as expectativas para o campeonato?

As mais altas expectativas possíveis. Pensando sempre em trazer uma medalha para Brasil. E levar o nome de Presidente Prudente que me acolheu [sou de Lucélia, me mudei para Prudente para fazer faculdade].

Sobre a falta de patrocínio, já tentou buscar apoio com alguma empresa?

A falta de patrocínio ou apoio dificulta muito esse projeto. Mas desistir não é uma opção, então faço o que posso para poder representar o Brasil no Pan-Americano de Cheerleading! Todas as viagens são por minha conta. O Pan não é um projeto barato, mas é um sonho que realizo. Estou atrás de meios para arrecadar dinheiro, como vendendo pizzas e trufas.

Além de você, quem compõe o grupo? Você está integrando a equipe brasileira? Explique-me, por favor.

O Team Brasil BR está composto por pessoas de vários Estados. No momento, somos em 23 integrantes na Seleção Brasileira de Cheerleading.

Pode explicar melhor, o que é o cheerleading?

O esporte, que é americano, vem crescendo muito no Brasil. O cheer é composto por jumps, tumbling, dança, stunts (elevações) e pirâmides [conexões dos stunts]. A música é chamada de cheermusic [um remix de várias músicas em conjunto]

Há quanto tempo pratica o cheer? Já fez outro esporte?

Estou no cheer desde 2014. Antes, pratiquei capoeira [sou professor, mas estou parado no momento]. Já joguei rugby em um time aqui da cidade [CowBoysRugby] e pratico natação pela Unesp [Universidade Estadual Paulista] para competir no InterUnesp. Quando recebi a notícia de que iria para o Pan, não consegui treinar muito a natação. No momento, o foco e dedicação são integralmente aos treinos do Team Brasil. Estou me preparando muito fisicamente, pois os treinos dos finais de semana no Rio exigem muito.

Por que resolveu se dedicar a essa modalidade?

Me apaixonei pelo esporte na faculdade [curso o último ano de Educação Física, na FCT [Faculdade de Ciências e Tecnologia] da Unesp, campus de Presidente Prudente. E agora que estou prestes a me formar pretendo trabalhar com cheer e treinar muito para poder competir tanto no Brasil quanto fora também