Arquivo - Nesta semana, há trabalhos agendados em Prudente, no Brasil Novo e Parque Jabaquara

Foto: Arquivo - Nesta semana, há trabalhos agendados em Prudente, no Brasil Novo e Parque Jabaquara

AEDES AEGYPTI

​​​​​​​Nebulização contra a dengue segue sem interrupção na região

Ministério da Saúde informou que passa por desabastecimento momentâneo do veneno utilizado para combate, após vazamento de embalagens e sedimentação do produto

  • 01/05/2019 09:00
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Nesta semana, o Ministério da Saúde informou que, depois de constatados defeitos de fabricação, aproximadamente 105 mil litros do inseticida/adulticida Malathion, utilizado no trabalho preventivo contra o mosquito Aedes aegypti, foram recolhidos pela empresa Bayer, fabricante. Com isso, as ações de nebulização estão suspensas em alguns municípios do país. No entanto, não houve reflexo desta medida na região. De acordo com a Prefeitura de Presidente Prudente, o estoque existente na Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) “está em perfeitas condições de uso” para atender aos 45 municípios da área de abrangência regional.

Desta forma, o serviço preventivo de nebulização continua. Inclusive, nesta semana, há trabalhos agendados em Presidente Prudente. Segundo o Executivo, as próximas ações na cidade estão programadas para ocorrer entre quinta e sexta-feira, no Conjunto Brasil Novo e Parque Jabaquara. “Vale ressaltar também que a Prefeitura não dispõe de inseticida, somente a Superintendência de Controle de Endemias, que não atende exclusivamente a Prudente”, enfatiza a municipalidade. É importante destacar que o inseticida não é a única medida de combate ao Aedes aegypti.

 

Problema em análise

Em nota, o Ministério da Saúde informa que, atualmente, passa por um “desabastecimento momentâneo” do inseticida em decorrência de problemas em sua formulação pela empresa produtora, o que causou vazamento de embalagens, além da sedimentação do produto, o que o inviabiliza para uso. Desta forma, a empresa produtora do inseticida foi informada e recolheu parte dos produtos para testes e ensaios de qualidade. A previsão é que a empresa entregue neste mês o quantitativo recolhido.

“O Ministério da Saúde informa que não deixou de fornecer os insumos considerados estratégicos aos Estados para controle de doenças transmitidas pelo Aedes, como o inseticida/adulticida Malathion”, salienta o órgão do Executivo. No ano de 2018, afirma que foram entregues aproximadamente 440 mil litros do produto em todo o país. Neste ano, para o Estado de São Paulo, já foram enviados 50 mil litros e, em todo o ano de 2018, municípios paulistas receberam 40 mil litros.

De acordo com o ministério, também são oferecidos aos Estados e municípios o apoio técnico, além de veículos para vigilância da doença e testes diagnósticos, sempre que solicitado pelos gestores locais. “São realizadas periodicamente videoconferências com os Estados prioritários, ou seja, com maior taxa de incidência de casos de dengue, reuniões com setores da Educação, Meio Ambiente, Defesa Civil, Assistência Social, e com os conselhos Conass [Conselho Nacional de Secretários de Saúde] e Conasems [Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde]”, considera o órgão. Além disso, também são investidos recursos em ações de comunicação, como campanhas publicitárias e divulgação nas redes sociais, junto à população.