Cedida / Museu e Arquivo Histórico: Exposição fotográfica Índios Xavantes segue no museu prudentino até o dia 30 de abril

Foto: Cedida / Museu e Arquivo Histórico: Exposição fotográfica Índios Xavantes segue no museu prudentino até o dia 30 de abril

ATIVIDADE CULTURAL

Índios Xavantes são lembrados em exposição no museu prudentino

Mostra apresenta fotos e objetos de uso das tribos até o dia 30 de abril, em comemoração ao Dia do Índio, lembrado na sexta-feira

  • 16/04/2019 08:30
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

No dia 19 de abril é lembrado o Dia do Índio e com objetivo de trazer um pouco mais de conhecimento da cultura, o Museu e Arquivo Histórico “Antônio Sandoval Netto”, de Presidente Prudente, recebe a Exposição Índios Xavantes. O esperado, segundo a organização, é a presença de 500 crianças das escolas de Prudente e região, fora o público rotativo. A mostra do Museu e Arquivo Histórico é uma parceria com o Cemaarq (Centro de Museologia Antropologia e Arqueologia) da FCT/Unesp (Faculdade de Ciência a Tecnologia da Universidade Estadual Paulista) a qual cedeu 19 artefatos Xavantes como armas, utensílios, adornos e artesanatos para exposição.  

Segundo a professora e responsável pela exposição, Eliane Angélica Semessato Ruiz da Silva, 56 anos, o museu prudentino traz todos os meses exposições rotativas para mostrar ao público, e este mês, em comemoração ao dia do índio, optaram por esta mostra que valoriza a cultura e conhecimento das pessoas. “O objetivo é resgatar a história do índio do Brasil que, infelizmente, só é comemorado uma vez no ano. Então, aproveitamos essa data para afirmar a população que eles existiram, que estavam aqui antes dos portugueses e que fazem parte da nossa terra”, destaca.

 

“Eles vão ver os objetos e as fotos e perceberão o quão importante eles são para nossa história”, expõe”

Eliane Angélica Semessato Ruiz da Silva,

professora

A importância da exposição, segundo a professora, é trazer a cultura indígena para o conhecimento das pessoas, principalmente para os alunos de escolas que recebem diariamente. “Eles vão ver os objetos e as fotos e perceberão o quão importante eles são para nossa história”, expõe.

As fotografias expostas são da aldeia “Dom Bosco”, localizada em Sangradouro no Mato Grosso.

Xavantes

Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), o povo Xavante ou Auwe, como se autodenominam, vive há muito tempo na região centro-oeste do Brasil, nos vastos e abertos campos. São considerados parte desse mundo, desde o tempo da criação, aprendendo com seus ancestrais a arte de viver nesses lugares.

Tudo o que precisam para a vida está ali: a caça abundante, variedades de frutos e raízes, peixes, as folhas de palmeira para construir as casas e cestos, as árvores que dão bons arcos e flechas, as plumas e cores das tintas naturais para a beleza do corpo e do “espírito”. O ensinamento para seguir no caminho da tradição, é a proteção dos ancestrais para a vida cotidiana e a beleza dos cantos cerimoniais que renovam o ato da criação. Na década de 40, às vésperas do século XXI, depois de um tempo difícil de muitas guerras e mortes os Xavante decidiram "pacificar os brancos" e estabelecer contato com os, então denominados, "warazu".

Serviço

A Exposição Fotográfica Índios Xavantes acontece no Museu e Arquivo Histórico “Antônio Sandoval Netto” até o dia 30 de abril. De terça a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Para outras informações ou agendamentos escolares o telefone para contato é o (18) 3223-9404.