AI da SAP - Objetos foram apreendidos pela polícia, que elaborou BO

Foto: AI da SAP - Objetos foram apreendidos pela polícia, que elaborou BO

VISITA PRISIONAL

Mulheres são detidas com objetos na genitália

  • 07/05/2019 21:30
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Agentes de segurança da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) detiveram quatro mulheres que tentaram entrar em penitenciárias da região com drogas e aparelho celulares escondidos nos órgãos genitais. Os flagrantes ocorreram durante fiscalizações na manhã de sábado, no entanto, foram divulgados ontem pela pasta. As tentativas frustradas resultaram em abertura de procedimento disciplinar para apurar a eventual cumplicidade dos presos que receberiam os materiais e, dependendo dos esclarecimentos, a secretaria não descarta a hipótese de ser instaurado procedimento de apuração preliminar que apura supostas responsabilidades funcionais.

Os flagrantes ocorreram em estabelecimentos prisionais subordinados à Croeste (Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado). De acordo com as informações da administração, a Penitenciária de Junqueirópolis foi um dos locais onde os agentes constataram a tentativa em burlar o sistema. Durante o procedimento de revista, que ocorre no setor de portaria, a visitante de um detento cumpriu com o procedimento do local e passou pelo aparelho de scanner corporal. Naquele momento, os servidores perceberam que havia um objeto considerado “estranho” nas partes íntimas da acusada.

Ao ser questionada sobre o que o aparelho havia apontado, ela teria negado a presença do suposto objeto ilícito e recusou a retirá-lo espontaneamente, mesmo com a ordem dada pelos agentes. Diante disso, a Polícia Civil foi acionada e mobilizou equipes levaram a visitante para fazer exame de raio-x na santa casa. Depois que passou por atendimento médico, foi confirmada a presença do objeto. Segundo a SAP, tratava-se de um invólucro com substância esverdeada, o que aparentava ser maconha. O produto foi apreendido para posterior análise pericial.

Na mesma data, um caso semelhante ocorreu na Penitenciária Tacyan Menezes de Lucena, em Martinópolis. Logo que a unidade foi aberta para receber os visitantes, a esposa de um sentenciado apresentou atitude suspeita quando passou pelo aparelho de scanner corporal. Segundo a Administração Penitenciária, a mulher também foi conduzida ao hospital para que houvesse a retirada do objeto, o que, aparentemente, tratava-se de maconha.

Em “dose dupla”

Outro local em que houve tentativa frustrada de entrar com objetos proibidos no sistema prisional ocorreu em Presidente Bernardes, na Penitenciária Silvio Yoshihiko Hinohara. Em um único dia foram dois flagrantes. Segundo a secretaria, duas visitantes foram conduzidas à Delegacia de Polícia Civil após agentes de segurança constatar que elas tentavam entrar na unidade com aparelhos celulares nas genitálias. De acordo com a SAP, em todos os flagrantes foram elaboradores boletins de ocorrência, e que as acusadas foram automaticamente suspensas do rol de visitas.