“Me tire Daqui”! Reza Véia lança single com composição autoral

Variedades

| OSLAINE SILVA - Da Redação

Entre este mês de maio e junho, a banda Reza Véia, de Presidente Bernardes, composta pelos músicos Williams Backer (vocal, guitarra, gaita e violão); Lucas Perez (bateria); Gabriel Gaspar (baixo elétrico) e

Renan Souza (guitarra) estará lançando “Me tire Daqui” um single com composição autoral. Formada no fim de 2011, após o término de outros trabalhos, Lucas e Willians deram início a nova banda - totalmente independente -, com influências do rock dos anos 80 e 90, pop rock nacional e internacional com misturas de blues, reggae e Ska.

De acordo com Williams, nesses mais de seis anos, as músicas do projeto são criadas exatamente da mesma maneira que o Brasil foi feito, de misturas. Ele destaca o blues que como ponto forte em sua essência possui o improviso, como sendo uma ferramenta muito presente.

“Trabalhamos forte para valorizar, difundir e formar plateia para este formato de criação musical temporal, com arranjos e montagens que tornam cada apresentação com pontos e símbolos diferentes. Nosso país é rico em diversidade cultural, inclusive musical, e também carrega influências internacionais. Trabalhar essa diversidade permite adentrarmos em um universo muito rico, aprender a maneira de ser, de viver, ser capaz de respeitar e ao mesmo tempo integrar a cultura popular”, expõe Williams.

E nesse contexto ele diz que o projeto se faz oportuno a um olhar acerca da perversidade da globalização, a concentração de renda, a desigualdade e a injustiça social, que ainda permeia grande parte da população. Willians assegura que a Reza Veia tem o enorme desejo de disseminar a cultura da música brasileira com influências internacionais. E, com a característica de criação temporal, até então pouco conhecida da grande maioria do público nacional, trazendo a verdadeira natureza da criação musical descrita em cada instrumento o valor de sua sonoridade, ocasionando ao público o sentimento de cada composição, desvendando limites, fazendo música e transformando criatividade em melodias. 

 

 

“Nosso país é rico em diversidade cultural, inclusive musical, e também carrega influências internacionais. Trabalhar essa diversidade permite adentrarmos em um universo muito rico, aprender a maneira de ser, de viver, ser capaz de respeitar e ao mesmo tempo integrar a cultura popular”

Williams Backer,

vocalista da banda

Por isso ele afirma que o repertório escolhido descaracteriza-se dos mais tocados, onde a banda leva ao palco o puro e o fino da música popular brasileira, e o que ela tem de melhor: o sentimento. “Queremos promover a inclusão sociocultural; preservar, divulgar e resgatar aspectos da cultura blues, reggae, rock; incentivar e divulgar artistas das mais variadas regiões, possibilitando uma visão panorâmica de várias vertentes da música popular; incentivar as pessoas a conhecerem novas propostas, à contemplação da cultura em toda a sua diversidade étnica e proporcionar ao público lazer de qualidade, e aos artistas uma opção para mostrar seu trabalho a um público diversificado e formador de opinião”, acentua.

 

Dinossauros sagrados

O vocalista destaca as oportunidades de contato, as aberturas de shows e ade poder dividir o palco com alguns nomes consagrados do rock, pop e reggae nacionais que a banda teve ao longo desses anos. Dentre eles estão: Banda Biquini Cavadão; Kid Vinil; Jota Quest; Planta e Raiz; Capital Inicial; Ricardo Japinha, banda CPM22.

Willians não titubeia e ressalta que foram experiências ímpares, pois a maioria dessas bandas fazem parte do que estruturou o trabalho da Reza Véia. Ele afirma que Capital Inicial, Jota Quest, Kid Vinil, por exemplo, são pontos de referências da banda bernardense.

“Estar com esses dinossauros do rock foi muito gratificante e um desafio também, porque em algumas apresentações tive que assumir a responsabilidade de abrir os shows com violão e gaita porque era meio complicado conseguir montar tudo. E, graças a Deus conseguimos um bom resultado. Um aprendizado muito grande. Com o CPM 22, por exemplo, foi algo inusitado, ele apareceu em um bar que estávamos tocando e acabou tocando com a gente. Foi demais porque ele foi considerado um dos melhores bateristas brasileiros. Tivemos a sorte de ter esse contato com ele também”, acentua o gaitista.

 

Serviço

Facebook: https://www.facebook.com/rezaveia

Page: https://www.facebook.com/bandarezaveia

Canal Youtube: https://www.youtube.com/RezaVeia


 

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste