​​​​​​​Ciclista dá 16 voltas em 24 horas e leva o bronze

Fabíola Freitas repete posição do ano passado, mas aumenta número de giros dados na corrida, disputada em Botucatu

JULHIA MARQUETI - Especial para O Imparcial • 27/03/2018 20:18:01

Prudentina Fabíola Freitas percorreu o mesmo trajeto, montanha adentro, durante 24 hora. Foto: Cedida/Fabíola Freitas

Treinando desde o final de novembro para a temporada de 2018, a ciclista Fabíola Freitas, de Presidente Prudente, iniciou as competições em fevereiro deste ano. Mas foi no último final de semana que ela superou sua resistência e paciência, quando participou pela terceira vez do Brasil Ride, em Botucatu (SP). Na prova, a atleta passou 24 horas percorrendo o mesmo trajeto, que consiste em 12 km montanha adentro, com rios e pedras que dificultam na hora de pedalar. A prudentina finalizou a prova com 16 voltas e na terceira colocação, atrás apenas de Clarita Balestrim, que fechou a prova com 17 voltas e a primeira colocada, Eliane de Souza, que completou 18 voltas.

Resistência é uma das palavras que marcaram o final de semana de Fabíola Freitas, principalmente por um marco que ela conseguiu pela primeira vez, mesmo já tendo participado da competição três vezes. “Consegui 16 voltas e sem tombos, isso é algo inédito”, relata. E o feito deve mesmo ser comemorado, já que, segundo a prudentina, o percurso de 12 km contou com diversas descidas com pedras, rios, encostas e trilhas estreitas, além de plantações de eucaliptos.

E tudo isso antes de subir um paredão de asfalto com inclinações que passam dos 15°, por isso a comemoração é mais do que justa, quando ela fechou a prova sem cair. “Temos que ter a resistência e paciência de andar sempre no mesmo lugar, além do cansaço, clima, já que tinha até previsão de chuva”, comenta. Além desses problemas, após horas fazendo o mesmo percurso e os mesmos movimentos, outro problema teve de ser resolvido. “Esse ano não tive problemas com os faróis à noite, porém senti um pico de sono por volta das 2h da manhã e consegui, com muita força de vontade, vencer mais esse obstáculo”, lembra.

Com treinos no sol, na hora do almoço e a noite, justamente para buscar se aperfeiçoar em terrenos íngremes, ela fez também a busca pela repetição do mesmo trajeto, mesmo que não fosse tão parecido com o percurso original da prova. Mas a diferença que contou em relação a outras competições não ficou apenas na capacidade física, que deve estar em dia, mas também na capacidade mental “Além do físico e as capacidades como resistência, força e potência, treino bastante o psicológico”, confirma.

Fora tudo isso, ainda é necessário a ajuda de outras pessoas para completar o trajeto. No caso da ciclista prudentina, ela contou com o apoio do marido, João Sadahiro, além da amiga Lorena. “Não tem como fazer a prova sem apoio. Eles cuidaram perfeitamente do meu equipamento, da minha alimentação e suplementação, hidratação constante, das trocas de meias que molharam nos rios, alongamentos nas horas necessárias e controle do tempo de cada volta em relação às adversárias”, ressalta.

Outras competições

Em fevereiro deste ano, Fabíola Freitas marcou presença na 1ª edição do Road Race, em Presidente Venceslau. A atleta terminou a prova na sexta colocação da categoria elite. “Por ser a primeira participação, fiquei satisfeita com o resultado”, conta. Sua segunda participação no ano foi a Copa ABD Vitta Max, que ocorreu em Andradina (SP), no dia 4 de março. Na modalidade MTB (mountain bike), a ciclista percorreu 40 km de estradas rurais, sofrendo um problema logo no início. “Sofri um tombo na largada, o qual me prejudicou no resultado. Terminei no 5° lugar da elite feminino e, devido ao tombo, fiquei alguns dias parada, recuperando intensamente nas sessões de fisioterapia”, afirma.

Em sua terceira participação na temporada, que antecedeu a Brasil Ride, a ciclista foi para Londrina (PR) para disputar o GP Noroeste de MTB. Fabíola Freitas terminou a prova, debaixo de sol forte, com um percurso pesado, muita areia e vento forte, no 2° lugar do elite feminino.

Próximos compromissos

A próxima competição da prudentina será em casa, no dia 8 de abril, pela Copa ABD Vitta Max (Matsuda), em ocorre em Prudente. “A prova consiste em mais de 40 km pela nossa região”, explica. Com compromissos até o final de 2018, os treinos da ciclista seguem firmes e fortes, com acompanhamento de nutricionistas, treinadores e fisioterapeutas, além, é claro, com o apoio e patrocínio da PhysiOne - Fisioterapia e Reabilitação Física, Le Bici Bike Shop, Concessionária Lumière Peugeot e Bfit Fitness Store.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste