Próxima novela das sete da Globo tem família de 1886 que acorda nos dias atuais

LEONARDO VOLPATO SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) • 13/06/2018 20:25:00

Parte do elenco de "O Tempo Não Para", próxima novela das sete da Globo, que substituirá "Deus Salve o Rei" em julho, se reuniu em São Paulo para um papo conceitual sobre a história, que chega no mês que vem. A narrativa, do autor Mario Teixeira e com direção artística de Leonardo Nogueira, mostrará uma família de 1886 que, após ser congelada, vai parar nos dias atuais. "Um choque de épocas vai permear a novela toda. E a visão dos 'congelados' muitas vezes fará um paralelo com a situação política atual do país", diz Nogueira. "O Tempo Não Para" tocará, de leve, em temas políticos que se assemelham aos da sociedade atual. De acordo com o ator Edson Celulari, que vive Don Sabino, um empresário vitorioso do Brasil Imperial, a novela não é política, mas tem citações a Brasília, por exemplo. "Meu personagem, quando ouve falar que Brasília é a capital do país e não mais o Rio de Janeiro, lembra que teve uma escrava com esse nome e que ela era muito preguiçosa, não gostava de trabalhar", divertiu-se. Protagonista da trama, a atriz Juliana Paiva conta que sua personagem, a divertida e inteligente Marocas, vinda do século 19, abordará valores. "Ela vem de uma família onde a mulher não tem opinião forte. Creio que a personagem e a trama vão despertar até nos mais cegos alguns valores que alguns não querem ver." Intéprete da vilã Betina, Cleo Pires conta que tem muita coisa em comum com a personagem. "Me identifico com o jeito comprometido dela, com o foco que ela dá para as coisas que faz. Mas a partir do momento em que percebe que o cara de quem é noiva [Samuel, de Nicolas Prattes] está de olho em outra [Marocas, papel de Juliana Paiva], ela usará armas morais e imorais por conta do ciúme." "Me identifico com o ciúme, mas não com a parte imoral", brinca.
Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste