Protesto na faixa de Gaza tem confronto e centenas de palestinos feridos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) • 08/06/2018 14:59:00

Soldados israelenses dispararam bombas de gás lacrimogêneo e tiros com armas de fogo contra palestinos que participavam de um protesto na fronteira da faixa de Gaza nesta sexta-feira (8), deixando ao menos 386 pessoas feridas, segundo autoridades de saúde. O Exército de Israel afirmou que tomou as medidas necessárias para dispersar os cerca de 10 mil palestinos que participavam do ato e impedir que eles cruzassem a cerca que demarca a fronteira. Os militares dizem que os manifestantes queimaram pneus e jogaram pedras nas tropas. A região vive uma onda de violência desde 30 de março, quando começaram os protestos pelos 70 anos de fundação de Israel. Ao menos 120 palestinos morreram neste período e milhares ficaram feridos, segundo as autoridades de Gaza.  Os palestinos acusam os militares de abrirem fogo contra a população civil e de matarem manifestantes indiscriminadamente. Já Tel Aviv diz que está apenas defendendo sua fronteira, que seus alvos são homens armados e que a maioria das vítimas é militante do Hamas, grupo islâmico que controla a faixa de Gaza e que defende a destruição do estado israelense. Não houve feridos do lado israelense.  A violência na região e o resposta israelense aos protestos foram alvos de críticas da comunidade internacional, embora os Estados Unidos tenham culpado o Hamas pelos problemas.   As manifestações tiveram seu auge em 14 de maio, dia da inauguração da embaixada americana em Jerusalém -que antes ficava em Tel Aviv-, mas desde então tinham perdido força. O protesto desta sexta ocorreu pelo "Dia de Jerusalém", data criada pelo Irã como protesto pelo domínio israelense da cidade.
Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste