Pai de Doria criou Dia dos Namorados para aumentar vendas do comércio

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) • 11/06/2018 17:33:00

O Dia dos Namorados passou a ser comemorado no Brasil em 1949 e foi criado pelo publicitário João Agripino Doria, pai do ex-prefeito de São Paulo João Doria Jr. (PSDB), com o objetivo de alavancar as vendas de junho. Na época, Doria pai dirigia a Standard Propaganda. Contratada pela loja de departamentos Clipper, a agência tinha a missão de reverter a queda nas vendas que sempre ocorria no meio do ano. A solução de Doria foi instituir uma data para troca de presentes. Pegando carona na religiosidade brasileira, o publicitário sugeriu que o Dia dos Namorados fosse comemorado no Brasil em 12 de junho, véspera do Dia de Santo Antonio, o conhecido santo casamenteiro. "Não é só com beijos que se prova o amor!" e "Não se esqueçam: amor com amor se paga", diziam os primeiros slogans. A data se consolidou e hoje representa importante fonte de receita para as empresas. SÃO VALENTIM No exterior, o Dia dos Namorados é tradicionalmente comemorado no dia 14 de fevereiro, Dia de São Valentim. A história mais difundida para a origem da data remonta ao século 3º. Na época, o imperador de Roma, Claudio 2º, havia proibido os casamentos por considerar os soldados solteiros mais eficientes. A ordem, porém, foi ignorada por um padre chamado Valentim, que celebrava casamentos às escondidas. Condenado à morte, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro enquanto estava na prisão. Antes de morrer, despediu-se dela com um cartão assinado: "Do seu namorado" e por milagre, a menina então recuperou a visão. Seria essa a origem do envio de cartões de Dia dos Namorados. No século 5º, o papa Gelásio declarou 14 de fevereiro Dia de São Valentim. A data é véspera de um festival romano chamado Lupercalia, que celebrava a fertilidade e marcava o início da primavera.
Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste