Metrô vai tirar esteiras rolantes entre estações Paulista e Consolação

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) • 08/11/2018 12:17:00

O Metrô de São Paulo vai retirar parte das esteiras rolantes que fazem a ligação entre as estações Paulista e Consolação, ligando as linhas 4-amarela e 2-verde. A ideia é dar maior fluidez à interligação que, desde que foi inaugurada em 2010, está saturada e vive constantemente lotada de passageiros.  A ideia é retirar quatro das seis esteiras rolantes atuais. O Metrô espera assim melhorar o fluxo de passageiros entre as duas linhas. Enquanto isso, a empresa estuda propostas para a construção de um segundo túnel entre as estações.  As obras irão começar no feriado do dia 15 de novembro e têm previsão de término no dia 20 do mesmo mês. Durante esse período o túnel ficará parcialmente fechado.  Atualmente, a interligação tem um conjunto de quatro esteiras no sentido da linha 2-verde (dois pares de esteiras, em em frente a outra) e duas esteiras no sentido da linha 4-amarela. Com a retirada das esteiras, permanecerá apenas um conjunto de esteiras, uma em frente a outra, no sentido da linha 2-verde. O  Metrô espera que, com a a retirada das estruturas, o túnel consiga acomodar mais pessoas. O Metrô promete ainda que o tempo de transferência entre as estações cairá de cerca de 8 minutos e meio para 5 minutos, no horário de pico da tarde (o mesmo trajeto pode ser feito em 3 minutos, com a estação esvaziada).  Esse ganho de tempo é apontado pelo Metrô como um ganho para a população. O Metrô garante também que diminuirá o intervalo de trens na linha 2-verde, que liga a Vila Madalena à Vila Prudente. O túnel de 195 metros foi projetado para receber 263 mil pessoas e hoje recebe entre 25 mil e 27 mil pessoas apenas em uma hora, no pico durante a manhã. Com a conexão da linha 5-lilás com o restante do sistema metroviário, a expectativa do Metrô é de que a interligação das estações Consolação e Paulista fique 10% menos movimentada. A promessa de reforma na ligação das estações é antiga. Em 2013, três anos após sua inauguração, o Metrô já prometia intervenções ao custo de R$ 35 milhões, em valores atualizados.  Em 2015, o Metrô chegou a anunciar que só um segundo túnel entre as estações seria capaz de dar vazão aos passageiros que utilizavam o trecho. O Metrô chegou a autorizar que a ViaQuatro, concessionária privada que opera a linha, fizesse o projeto básico desta obra. Mas o projeto não avançou.  Agora, o Metrô volta a estudar a construção do segundo túnel. No mês passado, o Metrô recebeu quatro propostas de projetos feitos por construtoras para a construção do segundo túnel. No momento, técnicos do Metrô estão avaliando as propostas para depois preparar a contratação da obra. 
Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste