Cruzeiro depende menos de Thiago Neves e ganha variedade de garçons

Esporte

| ENRICO BRUNO BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS)

Atualmente, o Cruzeiro é um dos times que mais produzem jogadas para a finalização de seus atacantes. Porém, diferente de 2017, a atual temporada está recheada de jogadores com a função de garçom e não mais dependentes de Thiago Neves. Mesmo quando o meia não está em campo, outros seis jogadores já mostraram que podem dar conta do recado presenteando seus companheiros. Na temporada passada, Thiago Neves foi o grande garçom celeste. Com 17 passes para gol, o meia ficou bem à frente do segundo colocado no quesito, que foi Diogo Barbosa, com oito. Este ano, dos nove gols marcados até aqui, seis tiveram assistências, mas somente um foi do camisa 30. Thiago nem nenhum outro jogador do Cruzeiro conseguiu dar mais que uma assistência até aqui no Campeonato Mineiro. Além do meia, os outros atletas que já presentearam seus companheiros foram Rafinha, Henrique, Rafael Sóbis, Arrascaeta, Edilson e Manoel. Vale lembrar que a lista ainda não conta com Egídio, lateral que ficou conhecido como "rei das assistências" em sua primeira passagem pela Toca, mas que passou batido até aqui. "A assistência é como se fosse um gol, a gente comemora como se fizesse um gol. A importância é muito grande. Só vai fazer o gol se chegar a assistência", comentou o lateral. Na partida contra o Democrata, em Governador Valadares, na última sexta, Mancuello aproveitou a sobra na entrada da área e abriu o marcador. No segundo tempo, o estreante Marcelo Hermes fez praticamente todo o trabalho antes de marcar seu primeiro gol com a camisa celeste, mas contou com um passe do zagueiro Manoel, também contabilizado como assistência.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste