Agente contraria o Santos e diz que abandono de Rodrygo foi combinado

SANTOS, SP (UOL/FOLHAPRESS) • 12/06/2018 17:53:00

O Santos e o estafe de Rodrygo não "falam a mesma língua" nas negociações que devem levar o atacante Rodrygo ao Real Madrid, da Espanha. O agente do jogador, Nick Arcuri, contrariou a versão oficial do clube e alega que o "abandono" do jogador da concentração para o jogo contra o Fluminense, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, já estava combinado. Segundo o estafe de Rodrygo, o Santos combinou com eles que o jogador assinaria o contrato com o Real Madrid antes da viagem para o Rio de Janeiro. "O Santos está protegido de que terá os 40 milhões de euros (R$ 174 milhões). Semana passada já teve troca de minutas, o atleta já fez exames médicos e hoje o combinado era ele assinar o contrato, fazer a apresentação e ele ir ao Rio de Janeiro para se integrar ao elenco. Me surpreenderam as notícias de que ele deixou a concentração, ele está em casa, vai assinar os contratos e vai se integrar a delegação", afirmou o agente do jogador ao Esporte Interativo. "Não só vai (ao Rio de Janeiro), como quer jogar. O combinado desde o princípio é que ele assinaria os contratos hoje e se juntaria a delegação no Rio. Nós esperamos que sim, esse era o combinado. O presidente foi muito sincero desde o início, ele disse que queria os 40 milhões e o Santos está protegido. O papel está com o presidente do Santos. Isso para mim está sendo surpresa, pois chegamos aos valores. Em nenhum momento está havendo pressão, o que foi combinado está no papel com as mudanças que o Santos pediu. Ele está disponível para viajar assim que assinarmos o que foi combinado. Porque o combinado foi que a gente faria uma coletiva para anunciar isso para a imprensa e o Rodrygo viajar tranquilo", completou. Após emitir uma nota alegando pressão dos agentes, o presidente José Carlos Peres estuda fazer um "seguro" contra lesões para que Rodrygo entre em campo e não corra o risco de perder a transferência para o Real Madrid. "Já está acordado nesse contrato que ele ficaria no mínimo mais um ano. O que nós pedíamos para o Real é que fique um ano e meio. É só essa questão que estava para ser concluída. Entendo jogador dizer que não tem cabeça para jogar. Qualquer tipo de lesão pode atrapalhar uma negociação desse porte", disse ao SporTV. "Trâmite é que esse contato seja assinado e acabou. Agora, para ele jogar amanhã, estamos analisando a possibilidade de fazer um seguro para que ele possa atuar. Ele tem medo de se machucar e isso tem que ser levado em consideração", completou. O presidente santista confirma o que disse o agente de Rodrygo em relação aos valores. Ele disse que o Santos ficará com os 40 milhões de euros exigidos na negociação e que resta apenas acertar algumas cláusulas, como amistosos e bonificações ao clube caso o jogador seja o melhor jogador do mundo no futuro. "Nessa transação, a multa é de 50 milhões de euros. O que nós estamos pedindo é o valor da multa. O valor da multa para o Santos é 40 milhões. Nesse aspecto, já existe a concordância por parte do jogador para que fique o valor da multa para o clube. O que está pegando um pouco agora é essa questão de algumas exigências que fizemos, como alguns amistosos. Toda essa questão precisa ser discutida. Nós mandamos um contrato, e nos devolveu para análise do departamento jurídico. Nós estamos conversando em uma negociação, e ela é real. Já atingimos o valor que gostaríamos, que é a multa. Falta algumas questões de contrato, melhor do mundo, algumas questões", disse Peres, que pretende permanecer com Rodrygo até o fim de 2019. "O jogador ficaria no Santos pelo período de um ano, estamos querendo até o fim de 2019. Isso já foi acordado. Nós não estamos vendo como atitude de afronta ao clube, de maneira nenhuma. Não existe nenhuma briga. Isso tem que ser resolvido com muita calma", concluiu.
Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste