Mundo Jovem

Jovens representam 27% dos óbitos no trânsito

O número de óbitos por acidentes de trânsito em Presidente Prudente, conforme o Infosiga, do governo do Estado, contabilizados desde o ano de 2015 no município, revela que do total de 161 mortes até este ano, 27,3% dos casos (44 mortes) são representadas pelo público jovem com idade considerada até os 29 anos. Conforme o Infosiga, em 2015 foram 72 óbitos no trânsito de Prudente, sendo 20 (27,7%) do público jovem, que passaram para 10 (26,3%) das 38 mortes em 2016 e voltaram a subir no ano passado, quando 12 (27,9%) das 43 mortes eram representadas por este público. Neste ano já foram oito mortes, sendo um jovem.

Para o especialista em trânsito, Manoel Silva Félix da Costa, o comportamento dos jovens é fator influenciador nos números. “São os mais afoitos e que tem mais comportamentos de imprudência e negligência. Em alguns casos, há ainda o uso de drogas lícitas e ilícitas, que influenciam nos números”, lembra.

 

Homens são maioria

Dos 161 óbitos contabilizados no Infosiga no período que compreende os anos de 2015 e 2018, 123 casos ocorreram com pessoas do sexo masculino, ou seja, 76,3% dos óbitos são de vítimas homens. Conforme o especialista em trânsito, este é um dado já esperado, visto que as mulheres são mais cuidadosas, tanto que ganham benefícios em apólices de seguros, por exemplo, que são barateadas ao gênero.  “O homem se arrisca, de uma forma não positiva, muito mais que as mulheres. O cuidado, no entanto, deve ser igual para ambos”.

Sobre a queda nos números de mortes no comparativo de 2015 para 2017, quando foram menos 29 casos, Manoel diz ser resultado do tripé do trânsito. “Trata-se da engenharia, esforço legal [fiscalização] e educação. Leis estão mais rígidas e multas mais rigorosas”.

 

Precaução no trânsito

Conforme o Corpo de Bombeiros, diversos são os fatores pelos quais ocorrem acidentes de trânsito, como condições climáticas e condições da manutenção dos veículos. O que predomina, no entanto, são os fatores humanos. “Destacamos a imprudência e negligência e abuso de substâncias tóxicas, bem como entorpecentes. É comum acidentes com vítimas jovens, já que eles compõem a maior faixa estatística de vítimas de acidentes no território nacional”, comenta. Como dica, a corporação afirma a importância de não utiliza aparelhos celulares ao volante, seguir as regras de trânsito e usar o cinto de segurança em todos os passageiros do veículo. A Semav (Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública) concorda que há a imprudência no trânsito, não apenas em relação aos jovens, e lembra-se da importância de se atentar aos limites de velocidades das vias e estar atento aos cruzamentos e movimentação de pedestres. “Ao longo do ano promovemos campanhas educativas aos motoristas, que se intensificam no mês de maio, quando é comemorado o Maio Amarelo”.

 

perfil

Gabriel é universitário e faz parte do trânsito prudentino desde fevereiro deste ano

 

Nome completo e idade: Gabriel Chouery Vilela. 18 anos

Curso e ano: Educação Física, 2º ano

Faculdade: Unoeste (Universidade do Oeste Paulista)

Cidade de origem: Presidente Prudente

 

Por qual motivo escolheu o curso? E por que em Presidente Prudente?

Desde minha infância sempre fui envolvido com esporte, a natação sempre esteve presente em minha vida, e eu competia ao redor do país e aqui na região. Por alguns motivos resolvi parar, mas é claro que nós saímos do esporte, e ele não sai de nós. Por isso, chegando ao fim do ensino médio decidi que queria o esporte presente em minha vida, e com isso entrei no curso de Educação Física, e na cidade de Presidente Prudente que é minha cidade natal, e onde existe a universidade que conta com o curso. Assim, tenho minha família perto de mim que me apoia e me ajuda em qualquer coisa que eu precise.

 

Quais são os seus sonhos quando o assunto é o mercado de trabalho?

Quando envolve o quesito trabalho eu gosto de pensar alto. A educação física me dá um leque de atividades que posso realizar, e com isso eu não gostaria de ficar preso nas academias de musculação, fazendo apenas com que o aluno faça séries de “3x12” [série de exercícios] o resto da vida, que isso é uma coisa que muitos educadores fazem. Eu penso que posso fazer muito mais que isso, desde uma aula de dança, uma escolinha de natação, e até mesmo uma ginástica laboral, pois quantas empresas não precisam disso?! São várias as áreas em que o educador físico pode atuar, não gostaria de me privar a apenas uma. E com certeza eu levo em consideração a minha felicidade, penso que aquilo que eu escolher primeiramente devo gostar e depois ser o melhor no que irei fazer.

 

O carro é o meio de transporte que você utiliza para ir à faculdade? Por qual motivo?

Sim, por causa da comodidade, da facilidade que ele nos dá e da independência que ele transmite. Logo que conquistei a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), passei a ir sozinho para a faculdade com o carro e isso melhorou muito, pois eu posso dormir aqueles cinco minutinhos a mais, e volto para casa logo depois que a aula termine.

 

Sua família é “tranquila” sobre você estar no trânsito ou se preocupa e dá dicas de como agir?

Sim, claro que minha mãe tem um ‘pé atrás’ quando eu estou no volante, ela sempre me dá algumas dicas e sempre usa a mesma frase: “No trânsito nós devemos dirigir por nós e pelos outros”. Minha mãe sempre me alerta sobre prestar a atenção nos retrovisores, nas placas de pare e também no limite de velocidade que a via pede, e sempre dirigir com cuidado, nunca alcoolizado ou com sono. São conselhos que ela me passa e que respeito muito por preservar a minha segurança.

 

Quais são seus receios no trânsito? Se preocupa sempre em seguir todas as regras e leis?

A gente nunca espera que algo de ruim vai acontecer com a gente, porém, sempre é bom ter cautela, cuidado e atenção, para evitar que acidentes aconteçam. Seguir todas as leis à risca é muito difícil, temos alguns erros como: “por que ir devagar se não tem nenhum carro na frente?” ou “Pra que sinalizar com a seta se não vem nenhum carro atrás?”. Cometidos com frequência se tornam naturais e assim quando for preciso sinalizar com a seta, por exemplo, você não vai sinalizar e o risco de acontecer um acidente aumenta e a sua segurança entra em jogo, então por isso eu priorizo seguir todas as regras para que não aumente o risco de ocorrer acidentes.

 

Já vivenciou alguma situação de “sufoco” no trânsito?

Já vivenciei algumas situações em que, por falta de prática, afoguei o carro saindo de um semáforo e antes de conseguir sair, o semáforo fecha e os outros carros ficaram buzinando. Até hoje não presenciei nenhum tipo de acidente grave ou qualquer que seja o grau, e muito menos bati o carro.

 

Acredita que os jovens, de maneira geral, são mais prudentes ou imprudentes no trânsito?

De modo geral, jovens são mais imprudentes, pois o jovem tem aquele jeito de querer curtir, de querer sentir a adrenalina no sangue, de querer apenas se divertir, e é assim que acidentes graves acontecem, em apenas uma diversão ou apenas uma brincadeira. Lógico que há as exceções, porém não são a maioria. Boa parte está apenas se divertindo e deixando a segurança de lado, talvez por conta dos pais não mostrarem o jeito certo, ou talvez os amigos forçam os “motoristas do role” a fazerem algo para eles se divertirem.

 

 

agenda

Maio Amarelo – Sest/Senat

Data: 19/05/2018 (Sábado)

Local: Sest/Senat Presidente Prudente

Endereço: Rodovia Arthur Boigues Filho, n° 585 - Jardim Novo Bongiovani

Telefone: (18) 3906-1074

Horário: 8h às 12h

Convite: Gratuito

Serviços oferecidos: Palestras de Educação no Trânsito e Responsabilidade Social Ambiental, exames de glicemia, aferição de pressão arterial, orientação de saúde bucal, massagem, entrega de um kit com lanche saudável e bafômeftro.

 

Curso de Mecânico de Automóveis Leves - Senai

Inscrições: 14 a 23 de maio

Local de inscrição: www.sp.senai.br ou presencialmente na escola

Local: Senai “Santo Paschoal Crepaldi”

Endereço: Rua Roberto Mange, 151 – Jardim Marupiara

Telefone: (18) 3902-8500

Requisitos: Idade mínima de 14 anos; máxima de 24 anos; ensino fundamental completo

Curso: Gratuito

Duração: 2 anos

 

na balada

Roney Reche, Bruna Auad e Lucas Fuzetto

 

Rafael Carlos, Karina Fonseca e lucas Marcondes

 

Jorge Kenner, Pedro Marcelo, João Lejão, Daniel Sousa e João Miguel

 

Quer sugerir novas abordagens, personagens com histórias interessantes ou enviar sua imagem para esta coluna? Envie um email ao caderno2@imparcial.com.br ou via Whatsapp - 18 99104-8537.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste