Carta à Redação

 06/10/2017 12:52:59  -

“Senhores passageiros: quem vos fala é o comandante desta aeronave; estamos iniciando o pouso em Presidente Prudente. Observe os avisos. A Vasp [Viação Aérea São Paulo] agradece a preferência e tenham um bom dia”. Desta forma, em 14 de setembro de 1967, cheguei a Presidente Prudente, como militar do Ministério da Aeronáutica, para servir no NPVDN (Núcleo de Proteção ao Voo de Presidente Prudente), por um prazo superior a seis meses. Pensei com os meus botões: estamos pousando e não observo construções ao redor da pista; somente terrenos vazios. Quando a aeronave efetuou o pouso, percebi a estrutura da estação de passageiros e o desembarque dos mesmos; inclusive eu. Fiquei surpreso, pois à distância não me permitia observar as facilidades que a cidade dispunha. Procedente de São Paulo, capital, senti que iria enfrentar dificuldades de adaptação entre outras. Apresentei-me ao chefe do NPVDN, identifiquei-me e, desde então, passei a conviver com os segmentos da sociedade prudentina. Senhores e senhoras, por motivos profissionais convivi direta e indiretamente com profissionais ligados à aviação (pilotos, mecânicos, instrutores do querido Aeroclube de Prudente, e abastecedores de combustível, entre outros). Presenciei, ao longo da minha jornada, o quanto foram responsáveis pelo desenvolvimento local e regional. Muitos não estão neste plano, porém, com certeza a população prudentina lembra-se o quanto contribuíram para o progresso local e regional. Aos que estão entre nós e ainda estão na ativa, ou não, meus sinceros agradecimentos pela contribuição, convivência pessoal e profissional. Destaco que, não mencionei nomes e sim homens que se dedicaram a esta arte de fazer voar. Apesar de não usufruir das facilidades que se dispunha em uma metrópole. Com o passar do tempo e amadurecimento pessoal, entendi e senti o quanto estava sendo agraciado em ter vindo para esta cidade: hospitaleira e de convívio pacífico nos setores de serviço. E, exatamente no dia 14 de setembro de 2017, sendo pai e avô de prudentinos, percebo o quanto aprendi com o desenvolvimento e pujança nestes 50 anos. Aos senhores e senhoras quero compartilhar e congratular pelas conquistas obtidas nos diversos seguimentos da sociedade local; com os quais convivi e convivo. Parabéns pela passagem do centenário desta maravilhosa cidade de Presidente Prudente.

Roberto Bernardo de Azevedo

Comentário