E.M. Vilma Alvarez e universidade criam “Ateliê de Criatividade”

Espaço infantil • 09/08/2018 07:00:00

Estudo das cores com alunos do 4º Ano B da professora Miriam Cristina de Oliveira Lino. Foto: E. M. VILMA ALVAREZ GONÇALVES 

Ao longo do processo do desenvolvimento do homem e de suas comunidades, as artes estiveram presentes como forma de marcar momentos históricos da sua formação psíquica e social. A partir da compreensão do papel que as artes desempenham no desenvolvimento humano, surgiu a ideia de construir um ateliê voltado para o ensino deste tema na E. M. (Escola Municipal) Vilma Alvarez Gonçalves que contou com a parceria da FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista) campus de Presidente Prudente.

A disponibilidade de espaços, a importância do ensino de arte de qualidade no ambiente escolar e a possibilidade de mediação de atividades artísticas foram desenvolvidas e planejadas pela estagiária do Programa de Educação Integral Cidadescola e pela pesquisadora do ensino de Arte, Fabiana Santos, orientada pela Profª. Drª. Kátia Kodama, ambas vinculadas a Unesp. Essa parceria foi um dos principais fatores que impulsionaram o desenvolvimento do projeto.

As atividades no ateliê iniciaram em abril de 2018 e têm atendido todas as turmas da escola. São desenvolvidos trabalhos com quatro linguagens artísticas (dança, teatro, artes visuais e música), fundamentadas na teoria da Abordagem Triangular, (ler, contextualizar e fazer), proposta por Ana Mae Barbosa, uma das principais referências da Arte - Educação no país.

Para Sirlei Aparecida Gomes dos Santos Oliveira, atual diretora da escola, “um espaço como o ‘Ateliê de Criatividade’ proporciona vivências que não só ensinam conteúdos programáticos, mas faz do cotidiano da escola um lugar mais belo, mais prazeroso e com mais significado”.

Dentro dessa perspectiva, o trabalho desenvolvido no ateliê tem o intuito de extrapolar o conhecimento formal do currículo escolar e valorizar os conhecimentos oriundos da comunidade em que a escola está inserida, das tradições culturais, das histórias pessoais e, desse modo, modificar e instrumentalizar educandos e educadores para efetivar uma educação que seja mais humanizada.

Conheça as atividades desenvolvidas no Ateliê no nosso instagram: @atelie_criatividade

ProjetoVik Muniz

Atividade: Releitura de flores com diversas materialidades

Alunos do 4º Ano A

Professora: Leonici Silva dos Santos

Pintura com cordão

Alunos do 2º Ano B

Professora: Maria Izabel Aguiar

Atividade desenvolvida por estudantes do curso de Arquitetura da FCT/ UNESP

Programa de Educação Integral Cidadescola

Articuladora: Anna Marina Rauseo


Projeto Curupira: Educação ambiental na escola

O Projeto Curupira, do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, em parceria com o Projeto Integrador do Curso de Enfermagem, ambos da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) tem como objetivo proporcionar formação e informação às crianças e adolescentes em idade escolar sobre o valor do meio ambiente e a importância da preservação dos recursos naturais, por meio da figura folclórica do Curupira.

A atividade foi realizada na E.M. Vilma Alvarez Gonçalves, no dia 25 de maio de 2018, coordenada pelos professores mestres Leila Maria Couto e Eduardo Fuzetto Cazañas.

 

Aprendendo sobre reciclagem do lixo

Alunos do Pré 1 A, Pré 1 B e 1º Ano B

Professoras: Janilde Simone Soares, Ana Paula Ramalho e Luciana Deise Santos

Orientadora pedagógica: Quezia de Aguiar Santana


 

Carta de Leitor

Sobre o incêndio na Coorperlix, podemos dizer que foi uma tragédia, mas ainda não sabemos quem foi, pois ocorreu fora dos olhos do público. “Queimou tudo, 100%, só está a carcaça. Nós estamos acionando a Prefeitura para ver o que pode ser feito, disse o G1.”

Se realmente foi alguém que fez isso, deveria ter um plano, uma estratégia, e geralmente precisamos de alguém para nos ajudar, ou seja, um cúmplice. A pessoa que fez isso deveria conhecer muito bem a Cooperlix.

Se eu fosse uma detetive iria à casa dos 90 trabalhadores perguntar qual era o tipo de relação que tinha com o chefe ou com a própria Cooperlix. Ou se algum ex-funcionário que foi demitido pegou ódio da cooperativa.

Essa pessoa talvez não expressava, mas deve ter jurado vingança. Mas, lembrando, é apenas uma hipótese.
Texto: Giovana Lilian Burani, 10 anos, 5º ano B

Professora: Danielle Basso

VOCÊ SABIA?

Que hoje no Brasil há mais de 250 espécies de animais ameaçados de extinção?

Entre as causas destacam-se: tráfico de animais, alteração do habitat pela destruição das matas, a poluição do ar, da água e do solo.

 

Texto e ilustração: Rykelme Kistian Alves dos Santos, 9 anos

3º ano A

Professora: Sueli Justino

VOCÊ SABIA?

O tatu bola tem a cor marrom escura, cintas móveis e mede cerca de 30 cm de comprimento.

Essa espécie não costuma cavar buracos, ele se transforma em uma bola para se defender dos predadores, como as onças e as raposas.

Texto e ilustração: Marcos Henrique do Nascimento Amaral, 8 anos             

3º ano A

Professora: Sueli Justino

VOCÊ JÁ ASSISTIU?

O lixão

Eu assisti um documentário de um artista que se chamava Vik Muniz, que nasceu no Brasil, mas mudou-se para os Estados Unidos, e agora transforma lixo em arte.

Vou falar então sobre o lixo, o lixão do Jardim Gramacho que fica no Rio de Janeiro. Vik foi visitar o lugar onde tinha bastante pessoas. Antes de ele chegar, pensava que todos que trabalhavam ali eram infelizes. Mas, o que viu foi diferente, alguns não gostavam e outros sim.

Tem bastante lixo como orgânico, inorgânico, domiciliar, industrial, agrícola, hospitalar, atômico e também espacial.

Espero que vocês tenham gostado de saber um pouco sobre o lixão de Gramacho.   

Aluna: Laís da Silva Santos, 9 anos

4º ano A

Professora: Leonice Silva dos Santos

O Lixo

O lixo é algo que não cheira bem. Existe no lixo orgânico estão restos de comida e no inorgânico metal, plástico, papel ou vidro.

Não podemos jogar o lixo em qualquer lugar, seja nos rios, na rua ou em terrenos.

O lixo hospitalar também precisa de cuidado, porque pode transmitir doenças.

Os restos de comida não podem ser jogados com os recicláveis. Vidro também não porque os catadores também podem se machucar.

Temos que pensar no meio ambiente e fazer como Vik Muniz, no documentário “ Lixo extraordinário”, ele usa o lixo para fazer obras de arte.

Aluna: Camila Vitória Crescencio Ramos

4º ano B

Professora: Miriam Cristina de Oliveira Lino


A paisagem que queremos e a paisagem que não queremos

2º ano A

Alunas: Talita Brandão, 8 anos e  Geovanna Gabrielle da Silva Waldemar, 7 anos

Professora: Maria Gorete

A paisagem que queremos e a paisagem que não queremos

2º ano A

Alunos: Anna Clara Oliveira Jacob – idade: 7 anos e

Enzo Gabriel Avila – idade:8 anos

Professora: Maria Gorete

CAÇA-PALAVRAS

DIFERENTES TIPOS DE LIXO

Depois de uma aula muito interessante de Ciências sobre o acúmulo de lixo no planeta, a professora de Mauricio orientou sua turma para que fizessem uma pesquisa no bairro em que moravam, para observarem a quantidade de lixo jogado em lugares impróprios pelos moradores do mesmo. Depois fariam um relatório, finalizando a aula iniciada na sala.

Durante o tempo em que andou pelo seu bairro pode observar vários tipos de lixo que poderiam ser reciclados se descartados de forma correta.

No caça-palavras, ajude Maurício a se lembrar quais são esses lixos para que consiga fazer seu relatório sobre a pesquisa realizada.

Palavras/resposta do caça-palavras

Papel amassado – caixas de leite – vidro – jornal – caixas de papelão – tampinhas de metal – garrafas de água mineral – copos descartáveis – sacolas – garrafas pets – brinquedos.

Orientadora pedagógica da escola: Quezia de Aguiar Santana

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste